o-X6dQCE4ZY

Frederico Morais é campeão do QS 6 mil dos Açores em dia de ondas perfeitas, e Pupo fica na semi. Assista aos melhores momentos

Por Redação HC

Neste domingo, a ressaca de água doce do Surf Ranch foi curada com um potente swell no Atlântico Norte, que premiou com altas ondas os finalistas do Azores Airlines Pro, QS de 6 mil pontos disputado no arquipélago português dos Açores.

Frederico Morais mostrou bom domínio do surf em condições pesadas e foi o grande campeão, vencendo na final o veterano aussie Mitch Crews. Miguel Pupo foi o melhor brasileiro no campeonato. Também acostumado a tubos pesados em fundos de areia, Miguelito chegou até a semi, conquistando mais um importante resultado na sua campanha de retorno ao CT.

Também foi o segundo bom campeonato em família para ele e seu irmão caçula, Samuel, que aos poucos vem melhorando seus resultados no QS. Em Pantín, na Espanha, etapa de 10 mil pontos, os dois já haviam chegado juntos às fases finais.

Outro destaque de bandeira brasileira foi Luel Felipe, que chegou até as quartas. Veterano do QS, Luel tinha chegado nas oitavas de final do US Open, e agora, com o 5º lugar nos Açores, dá uma bela escalada no ranking — ele é saltou nove posições e é o atual 26º colocado.

Miguel está na segunda posição, atrás apenas de Jadson André. Alex Ribeiro é o terceiro, Deivid Silva o 7º e Yago Dora o 8º.

Com o título, Kikas subiu para a 10º posição e entrou na lista dos classificados à elite mundial no ano que vem. Como Yago e Deivid se garantem atualmente pelo próprio CT, a lista provisória vai até a 12ª posição.

Neste momento, cinco novos nomes se qualificariam para os top 34 no ano que vem: o costa-riquenho Carlos Muñoz (12º), o australiano Liam O’Brien (11º), o havaiano Barron Mamiya (9º), o californiano Jake Marshall (5º) 3 e o francês Jorgann Couzinet (4º).

veja também:
Gabriel Medina é bicampeão no Surf Ranch
Jeremy sobre piscina de ondas: “é difícil levar essa etapa a sério”