Publicidade:

Solta aí o reels de John John Florence em seu quintal

John John Florence é um dos cinco únicos surfistas na história da elite mundial da WSL a conquistar seus dois primeiros títulos mundiais de forma consecutiva. Mark Richards, Tom Carroll, Tom Curren e o falecido Andy Irons são os outros membros desse clube de elite.

O prodígio de boas maneiras do North Shore de Oahu vive nos olhos do público desde os oito anos de idade, quando remou pela primeira vez em Pipeline. Aos 12, ele dominou uma grande variedade de condições oceânicas e sua amplitude de conhecimento oceânico foi agravada pelo cultivo de sábios de North Shore, dando a Florence todas as ferramentas evolutivas necessárias para se tornar o melhor surfista do mundo.

Abaixo você assiste à uma coletânea de John John Florence capturada e editada pelo mago das lentes Jack Coleman, que acaba de publicar o vídeo em seu canal. Solta aí:

 

John John Florence permanece, em sua essência, um performer antes de tudo, com um apetite insaciável por progressão. A única fraqueza em seu surf, se é que podemos chamar assim, é fazer o impossível parecer fácil demais. E embora tenha levado alguns anos para sincronizar seu estilo com as demandas do Championship Tour, seu amor pelo jogo continuou crescendo. O processo de se esforçar como competidor, artista e inovador é o que o move.

Em 2020, Florence fechou o buraco gritante em seu currículo ao ganhar a coroa do Billabong Pipe Masters, realizada em seu quintal.

Desde o título mundial consecutivo, a ascensão vertical de Florence ao topo foi desacelerada por uma série de lesões. Em meados de 2019, depois de vencer dois eventos e estar no topo do ranking do CT, Florence rompeu o ligamento cruzado. Ele não surfou até o evento final em Pipe, onde apesar de ainda não estar totalmente em forma, ele fez o suficiente para chegar às semifinais e garantir sua vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Sua presença nos Jogos foi colocada em risco por mais uma lesão no joelho sofrida no Margaret River Pro em 2021. Determinado a fazer a estreia do surf nas Olimpíadas, Florence dedicou todos os seus momentos à reabilitação e declarou sua disponibilidade para representar a equipe dos EUA em Tóquio apenas algumas semanas antes do início.

Sua presença, no entanto, significava que ele não poderia competir no restante de uma temporada truncada da WSL e, embora tenha perdido as finais inaugurais da WSL, ele garantiu seu lugar no CT para o ano seguinte.

No final de 2021, o havaiano voltou à plena forma e declarou seu desejo de ir a todo vapor para um terceiro título mundial em 2022. Atualmente Florence ocupa a segunda posição do Tour da WSL, com Filipe Toledo em primeiro e Owen Wright em terceiro.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias