James B encarna um misto de comediante e crítico surfístico-televisivo para levantar a importante questão: quem é quem na Guerra dos Tronos da WSL?

Por James R.R. B

A saga dos sete reinos da WSL continua. As casas Brasil, Hawaii, Estados Unidos, África, Austrália, Europa e Indonésia são os palcos para lutas sangrentas pelo trono de ferro da WSL. Grandes combates, interferências de remada, traições, artimanhas e um jogo muitas vezes sujo e que beneficia uma casta privilegiada de cavaleiros de cabelos louros com notas injustas, bad calls e cobertura imparcial na mídia estrangeira.

Mais uma batalha acaba de se desenrolar na guerra da WSL, dessa vez sobre os rasos corais do mar de  Keramas, na casa Indonésia. Guerreiros empunharam espadas das casas Lost, Channel Islands, Pyzel e Cabianca na luta por vitórias, glória, riqueza e um trono irado ornado de Barongs. Foi uma péssima batalha para a maioria dos guerreiros brasileiros, que perderam uma grande oportunidade de se aproximar do líder Havaiano.

Keramas terminou como mais uma etapa morna em um ano em que emoções, esperamos, não irão faltar até seu desfecho nos mares Havaianos em dezembro. Saiba mais um pouco sobre essas batalhas lendárias aqui na Hardcore, conhecendo alguns dos maiores protagonistas desta história. E não esqueçam, a batalha de Western Australia está prestes a começar nos mares infestados de tubarão de Margaret River. Esse é o Game of Surfing.

Veja também:
Duelos definidos para o Margaret River Pro: faça suas apostas
Cientistas desenvolvem micróbio “transgênico” capaz de acabar com plásticos nos oceanos
Local surfa onda histórica em mega-ondulação em Teahupoo – assista

QUEM É QUEM NA GUERRA DOS TRONOS DA WSL?

Kelly Slannister

Kelly Slannister, o todo poderoso do clã mais rico e influente nos 7 reinos da WSL. Astuto, estrategista e vencedor de 11 longas guerras desde o reino da antiga ASP, Slannister manipula seus adversários com perigosos mind games. Guerreiros destituídos como Taj Burrow e Rob Machado foram algumas de suas vítimas, muitas vezes sucumbindo derrotados e à míngua nos campos de batalhas além mar.

Slannister, um guerreiro agora mais velho, mas ainda perigoso, nos últimos anos se confrontou com jovens adversários poderosos da casa Brasil. Jamie Medina e Tyrion de Souza, além de o vencerem seguidamente em batalhas épicas, conseguiram reverter seus perigosos feitiços mentais ao rebater e criar frequentemente grande confusão no cérebro do grande campeão.

Dizem as más línguas que Kelly Lannister vendeu sua alma ao ainda mais rico e poderoso Rei Dirk da Noite, em troca de royalties em piscinas de ondas e uma fatia generosa na divisão do futuro reino lucrativo da WSL.

Dirk da Noite

O Rei da noite, de longe à espreita e observando com seus olhos gélidos, frios e calculistas. Dirk controla tudo à distância, muitas vezes enlouquecendo de fúria contra sua rainha Sophie. A rainha inexperiente à frente do reino da WSL constantemente toma decisões atrapalhadas e que surpreendem até os mais renomados estrategistas e estudiosos do jogo desde a época da IPS, fazendo água até agora nos planos de negócio e no ROI do enigmático e bilionário personagem semi-oculto.

Sophie Lannister

Poderosa rainha da casa de Kelly Slannister, submissa ao rei Dirk da Noite, Sophie conduz com punhos de ferro o reino da WSL.

Seu plano final é de dominação total. Desde os muitas vezes humildes campos de batalhas menores dos aspirantes a cavaleiros da divisão WQS, aos grandes combates de ondas grandes dos cavaleiros loucos de Jaws e Nazaré, até os nobres guerreiros da arte do Longboard.  Sua inexperiência em combates no mar já a deixou mais de uma vez vulnerável, como no dia em que quase perdeu a Fortaleza de Pipeline para uma luta de body surfing e um prefeito linha dura do condado de Honolulu.

Mas por enquanto ainda aparenta contar com a confiança de Kelly e do Rei Dirk, que continuam bancando as decisões de sua rainha fora d’água. Será que um dia a poderosa Sophie correria o risco de ser derrubada para uma retomada de poder do antigo rei Wayne Bartolomeu, da casa Rabbit?

Caroline Starks

A jovem e impetuosa guerreira, que surgiu muito nova para sacudir o reinado das
combatentes mais antigas. Goofie de pé pesado, já foi mais de uma vez comparada em suas habilidades ao lendário guerreiro Mark “cabeça-ôca” Occhilupo. Travará grandes batalhas
contra suas adversárias mais experientes das casas Australianas e Havaianas.

Jamie Medina

Jamie Medina. Lutador valente, absurdamente talentoso e voraz em suas batalhas, reconhecido por muitos como o melhor guerreiro de sua geração.

Conseguiu, a ferro e fogo, derrubar as muralhas até então intransponíveis que sempre impediram um representante da casa Brasil de vencer os sete reinos, sempre apoiado pelos fiéis escudeiros Charles e Simone.

Ídolo em sua terra, Medina é visto como vilão pelo povo de Gringo’s Landing, que sempre enxergou excessiva crueldade em seus atos em batalha. Quantas outras vezes foi apenas mal compreendido pelo preconceito dos povos distantes da casa Brasil, além de ser impiedosamente injustiçado pelos roteiristas das torres da WSL?

Sofreu revezes em combates caseiros contra os compatriotas dos clãs Toledo e Ferreira. Esse último, dizem, tem em seu poder uma poção mágica que usa para vencer o grande guerreiro goofie-footer em baterias muito disputadas.

Apesar do sucesso, Medina algumas vezes é criticado até por seu próprio povo da casa Brasil, acusado de traição ao criar alianças com clãs outsiders de boleiros e pagodeiros

Alexandra Targaeryan

 

Alexandra Targarien é a mãe dos três dragões do reino Havaiano: John, Ivan e Nathan. Com ajuda de poderes mágicos e muitas vezes traiçoeiros vindos do mago Richie Porta, um dos dragões, Drogon,  conquistou por duas vezes os sete reinos da casa WSL e destronando, na opinião de muitos injustamente, o guerreiro brasileiro Jamie Medina.

Drogon Florence

Drogon Florence, filho de Alexandra Targarien e um dos dragões mais perigosos e adorados dos setes reinos da WSL.

Combatente voraz, talentoso e incensado por seus poderes pelos povos das casas distantes, Florence já venceu duas guerras mundiais, com questionamentos do povo da casa Brasil por suspeitas de constantes favorecimentos em seu favor realizados pelo agora aposentado mago Richie Porta e seu clã de juízes.

É e será provavelmente o maior adversário dos guerreiros da bandeira verde e amarela por muitos anos, uma vez que os guerreiros das casas Califórnia e Austrália tem se revelado ouro de tolo nos últimos anos. E tem a mãe-guerreira mais gata dos sete reinos.

Tyrion de Souza

Mesmo não tendo a mesma estatura e força física de outros guerreiros, como Jamie Medina ou Khal Smith, o pequeno guerreiro Tyrion de Souza se valeu de sua malícia, estudo do jogo e muita inteligência e dedicação para conquistar um título de rei dos sete reinos na poderosa casa do Hawaii em 2015. Ferido no joelho na temporada passada, ainda não se apresentou em nenhuma das batalhas de 2019. Drama na casa de Souza.

Julian Snow

Pobre Julian Snow, guerreiro talentoso e incensado por seus pares das casas distantes, sempre acreditou que suas habilidades naturais o levariam ao pódio de melhor guerreiro dos sete reinos da WSL.

Mas foi continuamente relegado pelo malvado Jamie Medina a uma existência sombria e sem título mundial nas perigosas muralhas do North Shore, mesmo tendo contado em inúmeras batalhas com a ajuda mais uma vez injusta do mago Pritamo Ahrendt e de seu pequeno porém poderoso exército de juízes nômades.

Kolohey Baratheon

Filho do valoroso e antigo guerreiro Dino Andino Baratheon, Kolohey sempre esteve predestinado na mídia das casas distantes a ser o rei dos sete reinos da WSL. Era a esperança da casa Califórnia em dominar completamente o tabuleiro do surf por anos a fio. Porém, Kolohey nunca conseguiu atingir as expectativas de seu povo. A falta de maturidade em combate, aliada à chegada de hordas de guerreiros da casa Brasil sedentos por sangue saxão, relegou Kolohey a um papel secundário, enquanto os reinos iam sendo dominados por
Jamie Medina, Tyrion de Souza e seus jovens asseclas impiedosos dos clãs Toledo e Ferreira.

Khal Smith

O gigante guerreiro da casa South Africa. Tinha tudo para se tornar o ocupante do trono de ferro da WSL, mas acabou se tornando uma sombra pálida em relação às expectativas de seu povo e dos adoradores do carve pra direita.

Até em sua sagrada casa local, no mar de Jeffreys Bay, Smith foi duramente suplantado pelo guerreiro brasileiro Toledo, que conquistou aquela região com performances avassaladoras.

Ferido gravemente em seu orgulho, Smith continua sem se provar como um player real para conquistar os sete reinos, principalmente em batalhas em mares com tubos pra esquerda e reef breaks do Pacífico. Ganha uma grana preta por ano da família O’Neill.

Japa Cinzento

O jovem guerreiro Japa Cinzento. Habilidoso na arte com espadas forjadas nas salas de shape do renomado mestre brasileiro Marcio Zouvi, exilado voluntariamente há anos na casa Estados Unidos.

Surpreendeu analistas de Fantasy, lutadores muito mais experientes e aparentemente com mais testosterona e venceu a batalha de Keramas.

Será que o Japa Cinzento, sem alarde e tutorado pelo mestre meio babaca Jake Paterson, se coloca agora como um contender ao título mundial do reino da WSL? O tempo dirá.

A próxima batalha pelo trono de ferro se aproxima. Em Margaret Riverland, quem será o guerreiro que vai sair vencedor?

Este é um texto humorístico e de autoria exclusiva de nosso colunista, que não reflete, necessariamente, qualquer opinião da HARDCORE.