28 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024
28 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024

Italo Ferreira e Gabriel Medina garantem vaga no CT; Kelly Slater dá adeus ao Tour

O Margaret River Pro, quinta etapa do WSL Championship Tour chega a fase das oitavas de final do masculino com seis brasileiros garantidos próxima fase e duas eliminações. Além disso, Gabriel Medina e Italo Ferreira estão garantiram sua permanência no Tour após o corte dos 22.

Ao longo da terça-feira (madrugada de segunda, no Brasil) o terceiro dia de competição foi realizado em ondas com cerca de um metro e boa formação. Gabriel Medina, Samuel Pupo, Miguel Pupo, Caio Ibelli, Italo Ferreira e Tatiana Weston-Webb seguem vivos na competição. Por outro lado, Deivid Silva foi eliminado na terceira fase e não tem mais chances de sobreviver ao primeiro corte da temporada. Yago Dora caiu na repescagem e corre riscos.

Yago Dora protagonizou a primeira baixa brasileira no dia. disputando a terceira bateria da repescagem, a bateria 3 da repescagem, ele enfrentou os americanos Cole Houshmand e Kelly Slater. O brasileiro somou apenas 10.20 (4.67 + 5.53), terminando o confronto em terceiro. O vencedor foi Cole Houshmand, que teve um 6.50 e um 6.60 como melhores notas, totalizando 13.10. Já Kelly, pegou ondas de 7.17 e 5.33, avançando em segundo com 12.50. Com a derrota, Yago corre riscos e pode ser cortado da temporada da WSL.

Yago Dora perde e fica em situação delicada. Foto: Beatriz Ryder/World Surf League)

Na terceira bateria da repescagem, Miguel Pupo surfou poucas ondas, mas atingiu um somatório maior (15,27) que o do japonês Kanoa Igarashi (13,77). O brasileiro recebeu notas 7,10 e 8,17, que o ajudaram a construir a vitória.

Deivid Silva participou da última bateria da repescagem e ficou em segundo lugar, avançando com o sul-africano Matthew McGillivray, que venceu a disputa, com o indonésio Rio Waida dando adeus à competição ficando com a terceira colocação.

Gabriel Medina, Italo Ferreira, Caio Ibelli e Samuel Pupo já haviam garantido classificação para o Round 3 e não precisaram enfrentar a repescagem.

Após garantir a classificação para a fase seguinte, Deivid foi selecionado para abrir o round 3, agora em formato “homem a homem”, em disputa com John John Florence. O brasileiro surfou muito bem e até conseguiu belas notas: 8,17 e 8,53, com somatório de 16,70. No entanto, o havaiano, bicampeão mundial, também estava inspirado e precisou surfar só duas ondas para virar o placar. Ao ganhar 8,33 e 8,70, terminou com 17,13.

Com o resultado, Deivid Silva foi eliminado da competição e não conseguirá sobreviver ao primeiro corte da temporada da WSL.

Gabriel Medina avança e garente vaga após o corte, Foto: Beatriz Ryder/World Surf League

Gabriel Medina e Ryan Callinan entraram na água para confronto seguinte. Atuante desde os primeiros segundos, Medina não deu chances ao australiano e seguiu vivo no campeonato. O brasileiro somou 14,66 (5,93 + 8,73). Callinan, por sua vez, chegou a 12,40 (4,73 + 7,67).

Miguel Pupo entrou na água na sequência, enfrentando o japonês Kanoa Igarashi, que assumiu a liderança com uma série consistente de notas, enquanto Miguel buscava uma virada. Aos 29 minutos, Kanoa voltou ao topo, deixando Miguel na necessidade de uma pontuação alta para avançar. Com apenas 4 minutos restantes, felizmente, o brasileiro pegou uma boa onda e executou uma série de manobras impressionantes, garantindo uma pontuação de 8.17 e a vitória, garantindo assim uma vaga nas oitavas de final.

Seu irmão, Samuel, disputou uma bateria emocionante contra Leonardo Fioravanti logo na sequência. Samuca perdia até a última onda, mas conquistou uma virada espetacular, ficando com total de 12,77 (6,17 + 6,60). Fioravanti, por sua vez, somou 11,50 (7,00 + 4,50). Ironicamente, o oponente de Samuel nas oitavas será justamente seu irmão, Miguel. O confronto entre os dois será determinante para o futuro dos irmãos na temporada. O vencedor deverá carimbar a permanência na WSL, enquanto o perdedor precisará voltar ao Challenger Series, na tentativa de garantir uma vaga na elite do surfe em 2025.

Já Caio Ibelli carmibou seu passaporte para as oitavas de final derrotando o estadunidense Crosby Colapinto pelo placar de 10,97 a 13,50 em favor do brasileiro, que luta para se manter no CT após o corte e precisa de um bom resultado em Margaret River.

Italo Ferreira foi o último brasileiro a entrar na água, disputando uma bateria tensa contra Kade Matson (EUA). O confronto foi marcado pela emoção até os segundos finais, Ítalo Ferreira avança para as oitavas na Austrália. Com um 10.93, com o brasileiro garantindo a vitória pelo placar apertado de 10,93 a 10,33.

Após os resultados de terça-feira, o Brasil tem dois surfistas fora do CT: Luana Silva e Deivid Silva. Yago Dora, que estava na 16ª colocação no ranking antes de Margaret River, está em situação delicada e agora depende dos resultados de seus adversários para se manter entre os 22 surfistas que se manterão no CT após o corte. Caio Ibelli e os irmãos Samuel e Miguel Pupo ainda lutam para se manter no Tour, enquanto Gabriel Medina e Italo Ferreira estão matematicamente dentro dos 22 classificados para seguir adiante no CT.

O adeus de Kelly Slater

Kelly Slater dá adeus ao circuito mundial. Foto: Aaron Hughes/World Surf League

O 11 vezes campeão mundial, Kelly Slater, maior nome do esporte de todos os tempos, deu adeus à competição e ao CT na terça-feira. Slater passou pela repescagem, mas perdeu para o líder do ranking Griffin Colapinto no Round 3. Após ser carregado por seus colegas de Tour após sua eliminação, ele declarou que pretende participar de algumas etapas como convidado, porém não voltará a participar do circuito de forma integral, mesmo que receba um convite da WSL.

Highlights do dia

 

Baterias de repescagem (round 2)

  1. John John Florence (HAV) 11.37 Callum Robson (AUS) 12.84 x Otis North (AUS) 10.73
  2. Barron Mamiya (HAV) 11.43 x Miguel Pupo (BRA) 12.63 Reef Heazlewood (AUS) 14.93
  3. Cole Houshmand (EUA) 13.10 x Yago Dora (BRA) 10.20 x Kelly Slater (EUA) 12.50
  4. Rio Waida (IND) 7.13 x Matthew McGillivary (AFS) 14.00 x Deivid Silva (BRA) 12.54

Baterias do round 3

  1. John John Florence (HAV) 17,13 x 16,70 Deivid Silva (BRA)
  2. Gabriel Medina (BRA) 14,66 x 12,40 Ryan Callinan (AUS)
  3. Kanoa Igarashi (JAP) 13,77 x 15,27 Miguel Pupo (BRA)
  4. Leonardo Fioravanti (ITA) 11,50 x 12,77 Samuel Pupo (BRA)
  5. Kelly Slater (EUA) 6,17 x 11,87 Griffin Colapinto (EUA)
  6. Ramzi Boukhiam (MAR) 13,06 x 12,43 Matthew McGillivray (AFS)
  7. Cole Houshmand (EUA) 12.87 x 13.26 George Pittar (AUS)
  8. Liam O’Brien (AUS) 15.00 x 14.17 Jacob Willcox (AUS)
  9. Ethan Ewing (AUS) 14.33 x 11.37 Reef Heazlewood (AUS)
  10. Seth Moniz (HAV) 10.60 x 10.10 Connor O’Leary (JAP)
  11. Jordy Smith (AFS) 13.77 x 12.83 Frederico Morais (POR)
  12. Crosby Colapinto (EUA) 10,97 x 13,50 Caio Ibelli (BRA)
  13. Jake Marshall (EUA) 11,84 x 11.33 Eli Hanneman (HAV)
  14. Imaikalani deVault (HAV) 13.73 x 13.70 Ian Gentil (HAV)
  15. Italo Ferreira (BRA) 10.93 x 10.33 Kade Matson (EUA)
  16. Jack Robinson (AUS) x Callum Robson (AUS)

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias