26 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024
26 C
Papeete
domingo, 16 junho, 2024

Filipe Toledo é o melhor do dia em Teahupoo

Líder do ranking da WSL, o brasileiro Filipe Toledo foi o melhor surfista do dia de abertura do Tahiti Pro Teahupoo, sétima etapa do Circuito Mundial Masculino de Surf, neste domingo (12).

Na sexta bateria do dia, Filipe fez a nota mais alta (8,50) e a melhor média (15,50) do campeonato até agora para vencer o também brasileiro Yago Dora e o taitiano Tikanui Smith e avançar direto ao round três.

Com a classificação, Filipe dá um importante passo rumo ao título mundial de 2018, já que seu principal rival, o australiano Julian Wilson, atual número dois do mundo, foi eliminado na repescagem.

Veja também: Jadson vence etapa do Circuito Brasileiro em Maresias

Para além dos pontos no evento e no ranking, a atuação dominante em Teahupoo, mesmo que apenas em uma bateria, por enquanto, já é um marco na carreira de Toledo.

A falta de intimidade com esquerdas tubulares era apontada, até então, como a única deficiência no seu surf, chegando ao ponto de ser citada como um empecilho “moral” para que ele chegasse ao título mundial.

O mar estava pequeno, quatro a seis pés, mas já com tamanho suficiente para oferecer riscos aos que não soubessem lidar com a rasa bancada e com as sessões finais da ondas – Ezekiel Lau e Jordy Smith que o digam.

Surfando contra um goofy-footer e um local, foi Filipe quem comandou as ações. Sem perder muito tempo, logo mostrou que os treinos na semana passada fizeram efeito e achou todas as melhores ondas. Fez a leitura correta na maioria delas, pegou o tubo mais oco do dia e foi devidamente premiado com a melhor nota.

E foram mais dois brasileiros que fizeram as melhores apresentações depois de Filipinho: Gabriel Medina (7,83, 15,16) e Ítalo Ferreira (7,57, 14,84).

Sem surpresas, os dois melhores goofy-footers do circuito passearam em suas baterias. Medina não só achou os melhores tubos de sua bateria como completou um ótimo aéreo rodando, melhor manobra do dia fora dos canudos.

Ítalo ainda não se recuperou plenamente de uma lesão na coxa sofrida durante o US Open, etapa do QS disputada na semana passada em Huntington, Califórnia. Surfou com dores, o que não o impediu de entubar e manobrar à vontade. “Tento me concentrar apenas nas ondas”, explicou o potiguar após a vitória contra o havaiano Sebastian Zietz e o brasileiro Miguel Pupo.

Adriano de Souza (7,23, 12,96) fez valer sua experiência e também avançou direto ao round três. O campeão mundial de 2014 precisou de todo o conhecimento adquirido em quinze anos de visitas a Teahupoo para vencer uma bateria complicada contra os australianos Matt Wilkinson e Mikey Wright.

Kolohe Andino, Jordy Smith e Connor O’Leary também fizeram apresentações interessantes. Adrian Buchan surfou bem e, como de costume, teve suas notas um pouco exageradas para cima – pior para Jessé Mendes e Owen Wright.

Na última bateria do dia, Wiggolly Dantas e Willian Cardoso disputaram a sobrevivência no campeonato até a última onda. A um minuto do final, Panda pegou o melhor tubo da bateria, precisando de 7,23 para virar. Recebeu 7,17. Pela segunda etapa seguinda, Wiggolly avança ao round três.

As baterias restantes do round 2 – e, muito provavelmente, as primeiras do round 3 – devem ser chamadas nesta segunda (13), a partir das 14h, no horário de Brasília.

Tahiti Pro Teahupoo – Resultados do R1
1: Wade Carmichael (AUS) 12.23, Jeremy Flores (FRA) 10.00, Joan Duru (FRA) 8.20
2: Ezekiel Lau (HAW) 11.23, Ian Gouveia (BRA) 8.60, Jordy Smith (ZAF) 7.70
3: Italo Ferreira (BRA) 14.84, Sebastian Zietz (HAW) 12.17, Miguel Pupo (BRA) 9.63
4: Gabriel Medina (BRA) 15.16, Wiggolly Dantas (BRA) 9.20, Tomas Hermes (BRA) 2.56
5: Joel Parkinson (AUS) 11.63, Julian Wilson (AUS) 10.67, Mateia Hiquily (PYF) 8.94
6: Filipe Toledo (BRA) 15.50, Yago Dora (BRA) 7.83, Tikanui Smith (PYF) 2.50
7: Frederico Morais (PRT) 11.16, Willian Cardoso (BRA) 10.84, Michael February (ZAF) 10.80
8: Michel Bourez (PYF) 12.40, Keanu Asing (HAW) 9.50, Kanoa Igarashi (JPN) 7.56
9: Adriano de Souza (BRA) 12.96, Matt Wilkinson (AUS) 12.17, Mikey Wright (AUS) 11.17
10: Kolohe Andino (USA) 12.83, Patrick Gudauskas (USA) 9.84, Griffin Colapinto (USA) 8.83
11: Adrian Buchan (AUS) 12.66, Owen Wright (AUS) 11.47, Jesse Mendes (BRA) 11.00
12: Connor O’Leary (AUS) 12.67, Michael Rodrigues (BRA) 8.76, Conner Coffin (USA) 8.53

Resultados do round 2
1:
Tikanui Smith (PYF) 7.67 def. Julian Wilson (AUS) 5.83
2: Jordy Smith (ZAF) 14.10 def. Mateia Hiquily (PYF) 6.67
3: Wiggolly Dantas (BRA) 13.00 def. Willian Cardoso (BRA) 12.94

Baterias restantes do round 2
4:
Mikey Wright (AUS) vs. Miguel Pupo (BRA)
5: Griffin Colapinto (USA) vs. Ian Gouveia (BRA)
6: Owen Wright (AUS) vs. Joan Duru (FRA)
7: Conner Coffin (USA) vs. Michael February (ZAF)
8: Michael Rodrigues (BRA) vs. Keanu Asing (HAW)
9: Kanoa Igarashi (USA) vs. Matt Wilkinson (AUS)
10: Jeremy Flores (FRA) vs. Patrick Gudauskas (USA)
11: Sebastian Zietz (HAW) vs. Jesse Mendes (BRA)
12: Tomas Hermes (BRA) vs. Yago Dora (BRA)

Texto: Fernando Maluf
Imagens: WSL/Damien Poullenot/Kelly Cestari

Gabriel Medina testou as mais variadas abordagens no primeiro dia em Teahupoo: tubos, manobras na face da onda, no lip e acima dele. Praticamente todas deram certo
Nada parecia indicar que Ítalo estava surfando com uma lesão na coxa
Filipinho, à vontade e no comando em Teahupoo

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias