26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024
26 C
Papeete
domingo, 19 maio, 2024

Filipe Toledo é o Brasil no El Salvador Pro 2023

O campeão mundial Filipe Toledo segue na busca do título do Surf City El Salvador Pro 2023, que escapou na final do ano passado com o californiano Griffin Colapinto. Esta decisão pode se repetir, porque Filipe está na primeira semifinal com o havaiano Ian Gentil, depois Griffin defende a lycra amarela de número 1 do ranking contra o australiano Liam O´Brien. Nas semifinais femininas, Stephanie Gilmore e Tyler Wright estão na primeira bateria e Carissa Moore e Caroline Marks na segunda. A primeira chamada para as semifinais será as 6h35 da segunda-feira em El Salvador, 9h35 no Brasil.

Filipe Toledo foi o único brasileiro que venceu as duas baterias que disputou no domingo de boas ondas de 3-5 pés, mas com longos intervalos entre as séries. A primeira do Filipe chegou a ser reiniciada duas vezes, pois não entrou nada de ondas nos 10 primeiros minutos, dos 30 de duração dos duelos das oitavas de final. Mas, começou bem contra o indonésio Rio Waida, usando seu repertório de manobras inovadoras e progressivas, para vencer por 16,00 a 13,03 pontos, somando notas 8,83 e 7,17 das melhores ondas que surfou.

+ Tati-Weston Webb conquista a medalha de ouro no ISA Games 2023

Depois, Filipe Toledo praticamente também só teve duas oportunidades de surfar e não desperdiçou as chances. A primeira onda foi parecida com a do vice-campeão olímpico, Kanoa Igarashi. A do brasileiro valeu 6,67 e a do japonês foi 6,60. Mas, a segunda do Filipe fez a diferença, ele aproveitou qualquer espaço da onda para atacar forte, variando as manobras e até usando o aéreo para ganhar 8,67. A melhor do Kanoa Igarashi também foi a última, que recebeu 7,67 e definiu a vitória de Filipe Toledo por 15,34 a 14,27 pontos.

João Chianca perdeu para Ian Gentil no primeiro duelo das oitavas de final. Foto: @WSL / Beatriz Ryder

“O maior desafio aqui é manter o foco e a hidratação, porque está muito calor”, disse Filipe Toledo. “Depois da minha primeira bateria, de manhã, eu pude ir para casa, comer e fazer um banho de gelo. Depois disso, me senti muito bem novamente e estava pronto para competir. Foi um longo dia, já estou sentindo muito calor de novo agora, mas estou feliz em estar no dia das finais. Ser consistente é o que eu procuro e o que estou tentando fazer”.

Filipe Toledo é o único que ainda pode tirar a liderança do ranking do Griffin Colapinto nesta etapa da América Central. Mas, já tem que vencer o Surf City El Salvador Pro e se a decisão do título for com Liam O´Brien. Ou seja, o australiano ter derrotado o californiano na segunda semifinal. Essa é a única possibilidade de Filipe Toledo vestir a lycra amarela de número 1 do mundo no Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, onde ele é tricampeão consecutivo, só perdendo 1 bateria em 4 anos da etapa brasileira do CT na Praia de Itaúna.

O adversário de Filipe Toledo na semifinal em El Salvador, já derrotou dois titulares da seleção brasileira no domingo, sempre por pequenas diferenças de pontos em baterias bem disputadas. Ian Gentil é filho de pais brasileiros, mas mora e representa o Havaí nas competições da World Surf League e até usa as bandeiras do Havaí e do Brasil na sua lycra. Ele conseguiu achar boas ondas para mostrar um frontside agressivo nas direitas de Punta Roca.

Contra o vice-líder do ranking, João Chianca, no primeiro duelo das oitavas de final, Ian Gentil largou na frente com notas 7,17 e 7,50 nas primeiras ondas que surfou. Chumbinho chegou a igualar o 7,17, mas o máximo que conseguiu depois foi 6,33, com o havaiano ganhando por 14,67 a 13,50 pontos. O campeão mundial, Italo Ferreira, ganhou a bateria seguinte do australiano Callum Robson por 14,83 a 12,17 pontos, recebendo nota 8,33 na melhor onda. Contra Ian Gentil nas quartas de final, não entraram muitas boas e os dois ganharam notas parecidas. Italo começou bem com 7,00 e a segunda melhor valeu 6,33, com Ian somando 7,07 com 6,37 na vitória por 13,44 a 13,33 pontos.

Italo Ferreira ficou em 5.o lugar em El Salvador e subiu de 11.o para 8.o no ranking. Foto: @WSL / Beatriz Ryder

TOP 5 DO CT – Com a derrota de João Chianca em nono lugar no Surf City El Salvador Pro, bastava Filipe Toledo passar sua bateria para lhe tirar a vice-liderança no ranking e isso aconteceu. Chumbinho caiu para o terceiro lugar, o australiano Ethan Ewing permaneceu em quarto e o grupo dos top-5 do ranking tem mais um brasileiro, Gabriel Medina, que tirou Jack Robinson da lista dos que vão disputar o título mundial no Rip Curl WSL Finals, em Trestles.

O tricampeão mundial perdeu para o havaiano Barron Mamiya, numa bateria fraca de ondas que fechou as oitavas de final. Mesmo assim, Medina vai chegar no Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, defendendo a quinta posição no ranking. Os únicos que poderiam lhe tirar dos top-5 eram Italo Ferreira e o australiano Connor O´Leary, se passassem para as semifinais. Mas, ambos ficaram nas quartas de final e Italo subiu do 18.o para o 11.o lugar.

Gabriel Medina entrou no grupo dos top-5 em El Salvador. Foto: @WSL / Aaron Hughes

CAMPEÃS MUNDIAIS – Nas baterias femininas, as campeãs mundiais brilharam contra a nova geração, nas direitas perfeitas de Punta Roca no domingo. A primeira semifinal será entre a bicampeã Tyler Wright e a octacampeã Stephanie Gilmore. Tyler derrotou a havaiana Gabriela Bryan por 16,07 pontos, Stephanie aumentou para 16,87 o recorde de pontos femininos do Surf City El Salvador Pro 2023 contra a jovem australiana Molly Picklum e Carissa Moore fez o segundo maior placar do ano, 17,54, somando a segunda maior nota do ano, 9,37, contra a havaiana Bettylou Sakura Johnson.

Nessa nota 9,37, a havaiana pentacampeã mundial acertou até um aéreo. Essas marcas só não ultrapassam a nota 9,67 e os 18,00 pontos, que a própria Carissa Moore conseguiu nas semifinais do Surf Ranch Pro, que ela depois foi campeã e reassumiu a liderança do ranking. Na semifinal em El Salvador, Carissa vai enfrentar a californiana Caroline Marks, que avançou sem competir, porque a brasileira Tatiana Weston-Webb teve que abandonar o evento, por não estar se sentindo bem de estômago.

HIGHLIGHTS

O Surf City El Salvador Pro apresentado por Corona é realizado com patrocínios da Surf City, Corona, Shiseido, Red Bull, YETI, Surfline, True Surf e Tokash. Todas as etapas do WSL Championship Tour 2023 são transmitidas ao vivo nos canais SporTV Globoplay e pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo da WSL.

SEMIFINAIS DO SURF CITY EL SALVADOR PRO 2023:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:
1.a: Ian Gentil (HAV) 13,44 x 13,33 Italo Ferreira (BRA)
2.a: Filipe Toledo (BRA) 15,34 x 14,27 Kanoa Igarashi (JPN)
3.a: Griffin Colapinto (EUA) 15,67 x 14,26 Connor O´Leary (AUS)
4.a: Liam O´Brien (AUS) 12,04 x 11,84 Barron Mamiya (HAV)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 13.500 e 3.320 pontos:
1.a: Ian Gentil (HAV) 14,67 x 13,50 João Chianca (BRA)
2.a: Italo Ferreira (BRA) 14,83 x 12,17 Callum Robson (AUS)
3.a: Filipe Toledo (BRA) 16,00 x 13,03 Rio Waida (IDN)
4.a: Kanoa Igarashi (JPN) 16,90 x 14,50 Leonardo Fioravanti (ITA)
5.a: Griffin Colapinto (EUA) 11,00 x 6,84 Seth Moniz (HAV)
6.a: Connor O´Leary (AUS) 14,30 x 12,67 Caio Ibelli (BRA)
7.a: Liam O´Brien (AUS) 15,53 x 15,43 Ethan Ewing (AUS)
8.a: Barron Mamiya (HAV) 11,00 x 10,66 Gabriel Medina (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 20.000 e 4.745 pontos:
1.a: Tyler Wright (AUS) 16,07 x 14,26 Gabriela Bryan (HAV)
2.a: Stephanie Gilmore (AUS) 16,87 x 14,96 Molly Picklum (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV) 17,54 x 6,94 Bettylou Sakura Johnson (HAV)
4.a: Caroline Marks (EUA) x w.o-Tatiana Weston-Webb (BRA)

SEGUNDA FASE – 9.o lugar com US$ 13.500 e 2.610 pontos:
1.a: Tyler Wright (AUS) 13,20 x 12,50 Leilani McGonagle (CRC)
2.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) 15,00 x 3,70 Caitlin Simmers (EUA)
3.a: Molly Picklum (AUS) 15,83 x 13,20 Johanne Defay (FRA)
4.a: Gabriela Bryan (HAV) 15,00 x 11,00 Lakey Peterson (EUA)

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias