23.8 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 29 fevereiro, 2024
23.8 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 29 fevereiro, 2024

“Eu vou voltar a surfar”: a saga de Dean Randazzo

Após ter vencido a luta contra um linfoma de Hodgkin no auge da sua carreira, o surfista de Nova Jersey voltou a surfar, mas uma grave infeção pulmonar o tirou d'água novamente

“Eu vou volta a surfar”. Dean Randazzo, o surfista mais talentoso de Nova Jersey, sempre soube que faria coisas grandes. Pois ele fez e continua fazendo. Após ter vencido a luta contra um linfoma de Hodgkin, diagnosticado em 2011, quando estava no auge da sua carreira, ele voltou a surfar e vencer. Há dois anos, com 43 anos de idade, ele adoeceu novamente, dessa vez vítima de uma grave e misteriosa infeção pulmonar que o tirou do mar desde então. Mas nada demove sua esperança. Num post de setembro no Instagram, durante uma sessão de terapia, ele exibe a prancha All Merrick com que pretende tirar uma “foto em pé no tubo” para enviar ao médico responsável.

Nascido em Atlantic City, Randazzo cresceu em Margate e Somers Point. Como surfista amador em 1989, ele representava a Mainland Regional High School competindo na National Scholastic Surfing Association na Califórnia. Se tornou profissional no ano seguinte, depois de chamar a atenção da ASP (Associação de Surfistas Profissionais, entidade que antecedeu a WSL), durante uma performance estelar no Cold Water Classic de 1990, em Santa Cruz. Subindo no ranking internacional, Dean se classificou para o ASP World Championship Tour em 1996, sendo o primeiro competidor de Nova Jersey a fazê-lo.

Dean mudou-se permanentemente para a Califórnia em 1989. Ele começou a competir como profissional um ano depois. Seu estilo e habilidade atraíram comparações com o então campeão mundial Tom Curren. Aos 32 anos, Dean notou um caroço estranho no pescoço e foi diagnosticado com linfoma de Hodgkin.

Durante sua recuperação, ele fundou a Dean Randazzo Cancer Foundation. Revelar publicamente sua doença era um risco – os patrocinadores do surf promovem um estilo de vida saudável e despreocupado. Ele fez o anúncio em 2001, no US Open em Huntington Beach. Embora alguns patrocinadores tenham recuado, a maioria se prontificou a apoiar seus esforços de arrecadação de fundos.

+Outubro Rosa: conheça a história da lendária Rell Sunn

Dean voltou às ondas e foi nomeado o competidor mais valioso dos X Games em 2004. No entanto, o câncer continuou voltando. Em 2009, depois de lutar contra três recorrências, Dean finalmente estava livre do câncer e competiu novamente, tanto em eventos regulares quanto em eventos masters. Em 2010, ele ganhou o título de Masters of Pro Surfing na Flórida. A fundação de Dean arrecadou quase US$ 50o mil dólares para pesquisa e conscientização sobre o câncer. Ele também abriu caminho para mais surfistas de Nova Jersey.

Em seu canal “I Will Surf Again”, no YouTube, e sua página no Instagram, @deanrandazzosurf , é possível acompanhar a atual odisséia se esforçando ao máximo para superar a forte infecção pulmonar. Dean afirma em um dos post que ninguém precisa doar dinheiro para ajudar no tratamento, mas que orações são muito bem vindas. Comentários de grandes nomes do surf mundial, como Barton Lych, são frequentes em seus posts: “Irmão, não nos conhecemos muito bem, mas estou lhe enviando todo o meu amor e a maior energia para tornar isso realidade e ver você naquele tubo, muito respeito e amor, companheiro”.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias