27 C
Papeete
sexta-feira, 24 maio, 2024
27 C
Papeete
sexta-feira, 24 maio, 2024

Descarte de drogas no mar pode estar afetando comportamento dos tubarões

Uma preocupante descoberta vem chamando a atenção de pesquisadores dos Estados Unidos. Pacotes de droga jogados no mar podem estar afetando a vida marinha, especialmente a dos tubarões, considerados um dos maiores predadores dos oceanos.

Segundo dados revelados pela Guarda Costeira dos Estados Unidos, correntes marítimas já transportaram mais de 6.000 toneladas de cocaína para a costa da Flórida, resultado do descarte realizado por traficantes em suas tentativas de fugir das autoridades durante o transporte das drogas ilícitas.

+ Diretor de Titanic vende mansão de R$150 milhões de frente para ondas isoladas

Diante dessa preocupante situação, o biólogo marinho Tom Hird e a cientista ambiental Tracy Fanara decidiram investigar o impacto dessas drogas no documentário intitulado “Cocaine Sharks” (tubarões da cocaína, em tradução livre). A produção tem como objetivo analisar de que forma a cocaína e outras drogas descartadas no mar afetam os animais marinhos e, em especial, os tubarões.

Para conduzir o estudo, os pesquisadores acompanharam a vida marinha em seu ambiente natural e buscaram identificar possíveis efeitos das drogas no comportamento dos animais. Durante mergulhos de pesquisa, notaram comportamentos estranhos em algumas espécies de tubarão.

Um exemplar da espécie tubarão-cabeça-de-martelo, que geralmente é tímido em relação a humanos, surpreendeu ao se aproximar do grupo de pesquisadores, nadando de forma aparentemente “desequilibrada”. Outro espécime, um tubarão-cinzento, foi visto nadando em círculos e fixando o olhar em um ponto vazio, sem qualquer objeto presente.

Para compreender melhor a reação dos tubarões aos pacotes de droga, os cientistas também realizaram experimentos fora do mar. Eles jogaram pacotes semelhantes aos da droga para observar o comportamento dos animais em relação a eles. Surpreendentemente, os tubarões se aproximaram e atacaram imediatamente os pacotes, chegando até mesmo a levar uma embalagem consigo.

Apesar dos achados intrigantes, os pesquisadores não conseguiram detectar exatamente quais efeitos a droga pode causar aos animais nem comprovar por amostras biológicas o consumo dessas substâncias pelos tubarões.

Tom Hird, um dos pesquisadores envolvidos no estudo, ressaltou a importância de compreender a profundidade dessa questão: “A história mais profunda aqui é a forma como os químicos, fármacos e as drogas ilícitas estão entrando nas nossas vias marítimas, nos nossos oceanos, e quais efeitos eles podem causar nesses ecossistemas tão delicados”, declarou em entrevista ao jornal Science Today.

O cientistas, contudo, fazem um alerta para a necessidade de se estudar mais profundamente esse fenômeno e tomar medidas para proteger o ecossistema marinho e a vida marinha, especialmente os tubarões, que desempenham um papel crucial no equilíbrio dos oceanos.

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias