30 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
30 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Cuide da sua pele e dos Oceanos: descubra substâncias “proibidas” nos protetores solares

Uma grande preocupação entre os cientistas oceânicos e banhistas é o impacto que os protetores solares químicos provocam no ambiente marinho. Isso levou à proibição da venda e uso de protetores solares químicos em estados e comunidades insulares como Havaí, Ilhas Virgens Americanas e Aruba.

+ Conheça quatro mitos sobre o protetor solar

O FDA até recomendou remoção de todos os ingredientes químicos do protetor solar de sua lista de ingredientes “seguros e eficazes” devido a preocupações com os riscos à saúde humana.

Como tal, houve um aumento na produção de protetores solares “amigos dos recifes”. Mas, afinal, o que isso realmente significa e quão seguros são esses produtos alternativos para o ambiente marinho?

Como uma alternativa ao protetor solar feito com produtos químicos tóxicos para peixes, corais e outras formas de vida marinha, o protetor solar à base de minerais é frequentemente usado como opção “amiga dos recifes”.

Embora protetores solares à base de minerais sejam melhores para o ambiente marinho do que os produtos que contêm produtos químicos tóxicos, como oxibenzona, octinoxato e octocrileno, ainda existem riscos associados ao seu uso.

Os ingredientes ativos mais comuns em protetores solares minerais são o óxido de zinco e o dióxido de titânio.

Como saber se um protetor solar é “amigo dos recifes”

CUIDADO! Infelizmente, os termos “reef friendly” e “reef safe” não são regulamentados, então você nem sempre pode confiar em produtos com esta descrição.

É importante verificar o rótulo de “ingredientes ativos” na parte de trás do seu protetor solar ou produto de higiene pessoal para garantir que os produtos químicos prejudiciais aos recifes não estejam incluídos.

O tamanho dos minerais também pode ter um impacto. Certifique-se de usar filtros solares minerais de tamanho micro (ou “não nano”) para evitar nanopartículas, pois essas partículas menores podem ser tóxicas em altas concentrações.

Também é aconselhável ficar com loções e evitar protetores solares em spray ou embaçados, especialmente aqueles que contêm dióxido de titânio, pois pode ser prejudicial à saúde se inalado.

Por fim, é sempre bom usar produtos que reduzam o uso de embalagens plásticas descartáveis, seja por meio de embalagens reutilizáveis, com alto teor de reciclagem ou feitas de materiais vegetais minimamente processados, como o papelão.

Verifique o rótulo! Certifique-se de que seu protetor solar não contém as seguintes substâncias nocivas:

  • Oxibenzona
  • Avobenzona
  • Octinoxato
  • Octocrileno
  • 4-metilbenzilideno cânfora
  • PABA
  • parabenos
  • Triclosan
  • Nanopartículas ou zinco ou titânio de “tamanho nano” (se não disser explicitamente “tamanho micro” ou “não nano” e puder esfregar, provavelmente é de tamanho nano)
  • Qualquer forma de microplástico, como “esferas esfoliantes”

Ou, em outras palavras, evite os produtos com base química e, em vez disso, opte por protetores solares não nanominerais.

Além das preocupações sobre os protetores solares químicos que afetam negativamente os recifes de corais, a FDA propôs recentemente a remoção de todos os ingredientes químicos dos protetores solares (incluindo avobenzona, octisalato, homosalato e outros) devido ao potencial de impactos adversos à saúde humana durante o uso. Saiba mais aqui.

Além disso, mesmo os protetores solares à base de minerais, se usados em altas concentrações, podem impactar negativamente peixes e recifes de corais.

A melhor coisa que podemos fazer é limitar os produtos ao recriar em áreas de alto uso.

Métodos eficazes de proteção solar incluem um equilíbrio de:

  • Evitar a exposição ao sol durante as horas de pico do sol, quando possível (10h – 14h)
  • Cobertura: Use chapéus e roupas (pode ser com proteção)
  • Usando um protetor solar mais amigável para recifes em áreas expostas

Além de mudar nossas ações e decisões de compra para proteger o meio ambiente marinho, também é importante divulgar o assunto para amigos, familiares e membros da comunidade.

Em nível local, certifique-se de que as lojas de sua cidade estejam oferecendo protetores solares “amigos dos recifes” e incentive-os a interromper a venda de produtos nocivos.

Em 2018, por exemplo, o Havaí aprovou a primeira proibição estadual de protetores solares de oxibenzona e octinoxato; logo depois, países insulares como Palau, Bonaire e Aruba seguiram o exemplo.

Informe-se

Aqui está um gráfico útil divulgado pela NOAA, que mostra a interação entre os produtos químicos do protetor solar e a vida marinha:

Para saber mais sobre protetores solares “amigos dos recifes” e os impactos negativos dos protetores solares de base química, e para obter uma lista de outras ótimas opções de protetores solares, visite Beachapedia.org/Reef_Friendly_Sunscreens.

Fonte: Surfrider.org

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias