Em razão do combate à disseminação do coronavírus (Covid-19), desde a última sexta-feira (20), a Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarujá – SP, realiza Operação Quarentena nas praias da cidade. No final de semana a ação foi intensificada e até o momento, duas pessoas foram detidas, sendo uma delas surfista.

LEIA TAMBÉM: POR CORONAVÍRUS, WSL ADIA OU CANCELA EVENTOS; MEDINA LAMENTA

Neste sábado (21), durante a fiscalização, uma surfista foi levada à Delegacia Sede por descumprir uma das normas regulamentadas pelo decreto 13.568, que proíbe o acesso à faixa arenosa para qualquer finalidade, incluindo as práticas esportivas, por tempo indeterminado.

De acordo com a Prefeitura de Guarujá, a jovem foi abordada por uma guarda civil feminina que estava na Praia de Pitangueiras e orientada a retornar para casa. No entanto, a surfista invadiu a área delimitada e foi em direção ao mar. Para retirá-la do local foi necessário o uso moderado de força, uma vez que a infratora se recusou a deixar a praia. O mesmo ocorreu na tarde de sexta-feira (20), quando um homem ofereceu resistência à determinação e foi encaminhado ao Distrito Policial.

Praias interditadas

As ações são respaldadas pelo decreto 13.568 da Prefeitura de Guarujá, que considera o Código Penal Brasileiro, nos artigos 268 (infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa) e 330 (desobedecer a ordem legal de funcionário público). O mesmo decreto ainda suspendeu provisoriamente as licenças de barracas de praia ou atividades similares nas praias de Guarujá. O documento, de maneira geral, prevê medidas restritivas a locais públicos e que evitem aglomeração de pessoas, sempre com a finalidade de evitar a propagação do novo coronavírus.

Caso em Torres – RS

Um surfista foi preso neste domingo (22), em Torres, no Rio Grande do Sul, depois de desobedecer ordem para deixar o Parque da Guarita. A detenção foi feita como medida de saúde por conta da pandemia de coronavírus. De acordo com o Jornal GaúchaZH, o jovem de 20 anos já havia sido orientado por um salva-vidas para abandonar o local. Ao não atender a orientação, a Brigada Militar foi acionada. Como o homem seguiu desobedecendo a ordem, foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência. Segundo a BM, o surfista já possuía antecedentes por roubo a pedestre, crimes contra a fauna, desobediência, lesão corporal e ameaça.