Publicidade:

Coral gigante de 400 anos é descoberto na Grande Barreira

Cientistas descobriram um coral gigante de 10,5 metros de largura na Grande Barreira de Corais, no estado australiano de Queensland. O coral tem 400 anos e é o mais largo da região.

+ Apesar da recuperação, Grande Barreira de Coral permanece em risco

+ Unesco defende que Grande Barreira de Corais deve ser colocada em lista de patrimônios da humanidade em perigo

+ Os 5 recifes de corais mais espetaculares e menos explorados do mundo

O coral “excepcionalmente grande” tem 5,3 metros de altura e tem duas vezes o tamanho de seu primo mais próximo, segundo informações do Guardian. Acredita-se que ele tenha sido gerado no recife entre 421 e 438 anos atrás, antes mesmo da Austrália ser colonizada pelo Reino Unido.

Embora este não seja o maior coral do mundo, o professor associado adjunto da James Cook University e diretor administrativo da Reef Ecologic, Adam Smith, disse que ele é significativo para o ecossistema.

“É como um bloco de apartamentos”, disse Smith. “Atrai outras espécies. Existem outros corais, existem peixes, existem outros animais ao redor que o usam como abrigo ou alimentação, então é muito importante para eles.”

O coral foi descoberto na costa da Ilha de Orpheus por um grupo de cientistas e membros da comunidade que participavam de um curso de ciência cidadã marinha. Smith disse que os pescadores e pesquisadores locais já sabiam sobre o coral há algum tempo, mas até aquele momento ninguém havia olhado mais de perto.

“Nos últimos 20 ou 30 anos, ninguém notou, observou ou achou que fosse interessante o suficiente para compartilhar fotos, documentar ou fazer pesquisas sobre esse coral gigante.”

A espécie exata do coral é desconhecida, pois os testes genéticos não foram feitos para confirmar, mas ele pertence ao gênero Porites sp. Os guardiões tradicionais da região, o povo Manbarra, deram ao coral o nome de Muga dhambi. O nome se traduz em “Grande coral”.

Muga dhambi foi descrito na revista Scientific Reports esta semana com coautores que incluíam Kailash Cook, de 17 anos, que ajudou a medir o coral durante o mergulho, e o “padrinho do coral”, Dr. Charlie Veron, de 76 anos, que ajudou a identificá-lo.

Os autores pediram que o coral seja monitorado e a Grande Barreira de Corais protegida devido às ameaças crescentes das mudanças climáticas, diminuição da qualidade da água, pesca predatória e desenvolvimento costeiro.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias