22 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024
22 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024

Conheça Siqi Yang, ela é a China no surf em Paris 2024

A valente garotinha chinesa não se deixou intimidar e venceu a bicampeã mundial da WSL e duas vezes campeã mundial júnior do ISA, a australiana Tyler Wright.

O ISA World Surfing Games de Porto Rico foi um daqueles eventos que dividem a trajetória da vida de seus participantes em antes e depois. Ao conquistar para a China sua primeira vaga olímpica no surf, a pequena Siqi Yang, de apenas 14 anos de idade, entrou para os anais esportivos. É o melhor resultado de sempre da China numa competição internacional oficial de surf. Yang terminou os ISA World Surfing Games de 2024 em 15º lugar entre mais de 110 surfistas e garantiu um ingresso olímpico histórico. Siqi Yang é a China no surf em Paris 2024.

Se a habilidosa surfista, originária da potencia olímpica que nunca teve tradição alguma no surf, surpreendeu em Porto Rico, é importante destacar que, ainda que não fosse conhecida, ela não surgiu do nada. Sua primeira aparição no cenário mundial remonta a 2022, nos Jogos Mundiais de Surf da ISA de 2022, em Huntington Beach, Califórnia. Os jovens surfistas chineses, liderados pela sensação Siqi Yang, quebraram as expectativas e chamaram a atenção da mídia internacional.

+Vaga para Medina em Paris 2024 aproxima Brasil do ouro

+Gabriel Medina sobre a vitória em Porto Rico: “Não tinha como ser melhor”

Na época, Yang, o mais jovem integrante da seleção chinesa, também gravou seu nome na história, ao chegar à quinta rodada da repescagem, terminando em impressionante 29º lugar. Sob a orientação do técnico sul-africano Wade Sharp, a seleção chinesa foi formada em 2018 e mostrou dedicação e progresso excepcionais em um curto período.

Sharp, que já treinou a equipe do Japão nas Olimpíadas de Tóquio 2020, viu um imenso potencial nos surfistas chineses, prevendo sucesso futuro no cenário global. “Eles são muito dedicados aos esportes e levam o treinamento a sério”, disse Sharp ao canal Olímpico. “Acho que daqui a alguns anos você verá a China entre os que mais ganham medalhas, assim como todos os outros países.”

Talvez Sharp esteja exagerando no otimismo, mas a verdade é que apesar dos desafios já existentes para qualquer surfista chinês, os surfistas chineses demonstraram uma adaptabilidade notável. Mesmo com o agravamento da situação para eles durante a pandemia da COVID-19, limitando as oportunidades de intercâmbio, tanto para receber visitantes como para treinar em águas estrangeiras, eles permaneceram firmes no objetivo e o resultado de Siqi Yang é fruto dessa dedicação.

Siqi Yang começou a surfar em 2018, quando tinha apenas nove anos. “Fiquei muito assustada no começo, mas depois de superar aquele período, o surf passou a me deixar muito feliz”. A aplicação e destemor de Siqi nas competições chamaram a atenção do treinador Sharp, que não teve dúvidas em afirmar que ela teria um “futuro incrível”. Em 2022, o técnico de surf da China, Wang Xiaofei, traçou como objetivo de longo prazo deixar uma marca nas Olimpíadas de Los Angeles 2028. “Nosso objetivo para LA 2028 será ficar entre os 8 primeiros dos Jogos Olímpicos”, afirmou na época. Tudo indica que até lá, Siki vai estar muito mais madura como surfista, com 18 anos de idade completos e a experiência de já ter participado de uma olimpíada contando muito.

Siki obteve um desempenho excepcional em Porto Rico. Na segunda rodada, a valente garotinha chinesa não se deixou intimidar e venceu a bicampeã mundial da WSL e duas vezes campeã mundial júnior do ISA, a australiana Tyler Wright. Yang se destacou nas ondas da Margara de Porto Rico com uma atuação poderosa e uma das melhores manobras do dia. “Esta é a primeira vez que surfo em Margara”, disse sorridente. “Apenas quero me manter discreta para tentar aprender com a experiência de surfar com uma bicampeã mundial. Porto Rico é lindo. As ondas são incríveis”.

Yang avançou para a 7ª Rodada da Repescagem Feminina, onde conseguiu validar o ingresso para os Jogos Olímpicos de Verão no Taiti. “O sonho olímpico é o meu sonho, qualificar-me para as Olimpíadas”, concluiu Yang. “Estou super feliz, super animada por conseguir isso hoje. Obrigado ao meu país por me apoiar para chegar aqui e ao meu treinador por me trazer a este nível. Estou muito feliz. Tenho treinado muito para isso”.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias