26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024
26 C
Papeete
quinta-feira, 23 maio, 2024

Confrontos de gerações marcam 1º dia do Circuito Banco do Brasil em Torres

O Circuito Banco do Brasil de Surfe abriu a temporada 2024/2025 da WSL South America na quinta-feira ensolarada na Praia dos Molhes, em Torres, no Rio Grande do Sul. A cidade não sediava uma etapa do World Surf League (WSL) Qualifying Series (QS) desde 2004. Vários confrontos de gerações marcaram o primeiro dia, com participantes do evento de 20 anos atrás, competindo com estreantes de até 11, 12, 13 anos de idade e 25 surfistas disputaram um evento da WSL pela primeira vez. Uma das atrações foi o campeão mundial Adriano de Souza, 37 anos, que estreou com vitória no fim do dia. As eliminatórias prosseguem nesta sexta-feira, a partir das 8h00, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

“Fazia uns 25 anos que eu não vinha aqui, desde a época de amador e tenho uma recordação muito forte daqui. Foi uma final que fiz com o Jean da Silva (in memoriam), inclusive ele me ganhou, então é muito bom voltar a ter campeonatos de expressão aqui em Torres”, disse Adriano de Souza. “Eu estou muito contente vivendo essa nova fase, de estar terminando minha carreira. Mas, quando eu coloco a lycra, sempre tento fazer o meu melhor, então fico feliz de avançar mais uma bateria. Esse ritmo que estou, entregando tudo o que eu sei, as vezes dá certo, então é manter isso e estou supercontente com esta minha fase agora”.

No ano passado, Adriano de Souza, o eterno capitão da seleção brasileira da WSL, venceu a segunda etapa, em Garopaba, Santa Catarina. Na decisão do título na Praia da Ferrugem, derrotou o jovem ubatubense Gabriel Klausser, campeão do ranking das 3 etapas da primeira edição deste circuito em 2022. Mineirinho foi um dos 8 cabeças de chave da segunda fase, que estrearam nas 4 baterias que fecharam a quinta-feira, contra o Eric Bahia, Kaue Germano e Kaua Campos.

Circuito Banco do Brasil de Surfe Torres
Adriano de Souza estreou na penúltima bateria da quinta-feira em Torres. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Outro surfista que tem boas lembranças de Torres, é o capixaba Krystian Kymerson. Ele ganhou a bateria que inaugurou a temporada 2024/2025 da WSL South America, que decide os títulos sul-americanos e vai classificar 7 homens e 3 mulheres para o Challenger Series 2025, o circuito de acesso para a elite que disputa o World Surf League Championship Tour (CT). Em 2021, Krystian Kymerson conquistou o bicampeonato brasileiro profissional nas mesmas ondas da Praia dos Molhes.

Estou muito feliz de ter passado a bateria, porque está bem difícil o mar, mas comecei bem a nova temporada e quero focar muito no QS esse ano”, afirmou Krystian Kymerson. “No ano passado, não corri muitas etapas, acabei nem brigando pela vaga no Challenger Series, mas agora é focar nesse ano que promete muito. Tem muitos eventos vindo aí e quem sabe já começo com um bom resultado aqui. É um lugar que eu me sinto muito bem, conquistei meu bicampeonato brasileiro aqui, então tenho muitas lembranças boas de Torres e tomara que fique conectado para pegar ondas boas nas baterias”.

RECORDES DO DIA – Depois de ganhar sua primeira bateria no evento, Krystian Kymerson se classificou no confronto vencido pelo potiguar Mateus Sena, que abriu a rodada dos 32 cabeças de chave do campeonato, os participantes mais bem ranqueados na WSL. Na bateria seguinte, outro cabeça de chave estreou batendo os recordes do dia. O catarinense Leo Casal atingiu 14,54 pontos, somando uma nota 7,67, superando as maiores marcas da primeira fase, a nota 7,50 do Wesley Leite e os 12,67 pontos do Bruno Moraes. Na vitória do Leo Casal, foi eliminado um dos surfistas que competiu na última etapa do QS em Torres 20 anos atrás, o catarinense Diego Rosa.

Circuito Banco do Brasil de Surfe Torres
Krystian Kymerson venceu a primeira bateria da temporada 2024/2025. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Estou muito feliz com essa competição e pela oportunidade de fazer uma bateria de 25 minutos só com três pessoas na água”, destacou Leo Casal. “A valinha está bem divertida, parece até com o Canto do Maluf no Guarujá (SP). Uma vez treinei lá com o Paulo Kid e a onda é bem parecida com o que está hoje aqui, então fiquei lembrando dos momentos lá para aplicar a técnica aqui. A prancha Xanadu que usei, está encaixando bem nas marolas e estou amarradão que ela funcionou bem aqui”.

Leo Casal começou 2024 se tornando o terceiro melhor surfista com até 20 anos de idade do mundo, só perdendo nas semifinais do Mundial Pro Junior da World Surf League, disputado em janeiro na Califórnia. No ano passado, ele disputou o Challenger Series, assim como o recordista de nota da primeira fase, o ubatubense Wesley Leite, que se classificou para o circuito de acesso para a elite do Championship Tour (CT) em 2022. Ambos estão iniciando a busca por vagas no Challenger Series de 2025, no Circuito Banco do Brasil de Surfe que está abrindo a temporada 2024/2025 da WSL South America.

“Foi muito bom começar a temporada assim, fazendo a maior nota do evento na minha primeira bateria no campeonato”, disse Wesley Leite. “Isso é a consequência de todo trabalho que venho fazendo com a minha equipe e, com certeza, dá um ânimo a mais para começar a temporada. Quero conquistar minha vaga no Challenger novamente, porque no ano que eu entrei, acabei me lesionando logo na segunda etapa, na Austrália, em Manly Beach. Então, não tive oportunidade de mostrar o meu potencial durante o circuito todo, mas são planos de Deus e Ele tem o melhor pra todo mundo”.

Circuito Banco do Brasil de Surfe Torres
Leo Casal fez os recordes do primeiro dia do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2024. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

CONFRONTOS DE GERAÇÕES – Um dos pilares do evento, é descobrir novos talentos do surfe brasileiro. Em Torres, 25 surfistas tiveram a chance de estrear em etapas do Qualifying Series, de vestirem a lycra de competição da WSL pela primeira vez. Outros aproveitaram a oportunidade para competir de novo, depois de muitos anos. Entre eles, quatro surfistas que participaram do último QS disputado em Torres 20 anos atrás, o catarinense Diego Rosa e os gaúchos Stefano Dornelles, Pedro Gross e Daison Pereira, que foi semifinalista daquele campeonato de 2004, vencido pelo paranaense Jihad Kohdr.

“Pois é, 20 anos depois a gente veio aí pra brincar né. Várias pessoas que me encontraram surfando, falaram para eu vir, pra correr o campeonato, que eles queriam torcer por mim. Isso foi o que me motivou a competir”, contou Daison Pereira, que destacou a volta de um QS para Torres. “É muito bom, porque tem uma nova geração tentando se desenvolver e a cidade precisa de eventos assim, um campeonato de surfe de alto nível. Eles já estão se integrando aí com os profissionais e isso é importante para irem pegando experiência, vendo como é o dia a dia de atleta. Porque com 12, 13 anos, eles têm o sonho de ser surfista profissional, mas ninguém sabe o que realmente vão ser”.

Circuito Banco do Brasil de Surfe Torres
Daison Pereira foi semifinalista da última etapa do QS em Torres em 2004. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Dos 96 inscritos na competição masculina na competição em Torres, 72 estrearam nas 20 baterias realizadas na quinta-feira, 16 da primeira fase e as 4 primeiras da segunda. Os mais jovens eram os gaúchos Lorenzo Souza de 11 anos de idade, o Pedro Sommer de 12 e o Davi Ferreira de 13 anos. Os três não passaram suas baterias, mas já estavam felizes pela chance de participar do seu primeiro campeonato da World Surf League e estrear em etapas do QS tão jovens.

“Foi muito legal disputar meu primeiro QS novo assim, em casa, com os amigos e surfando só pra me divertir com os ídolos”, disse Pedro Sommer, que é de Torres. “Foi muito importante essa oportunidade de ter esse evento aqui. É uma experiência nova e está sendo muito legal ver e sentir que está num campeonato grande”.


O Lorenzo Souza, de 11 anos, é de Porto Alegre e foi até entrevistado na transmissão ao vivo: “Foi muito emocionante e também quero agradecer a WSL pela oportunidade, ao meu pai, estou muito feliz e foi muito emocionante mesmo. Eu evoluí bastante, o meu coach é o Stefano Dornelles, que sempre está me ajudando e também faço treinos físicos com o Cristian Barreto, que também me ajuda muito”.

Lorenzo Souza é o competidor mais novo do Circuito Banco do Brasil de Surfe. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

INICIATIVAS SOCIOAMBIENTAIS – O Circuito Banco do Brasil de Surfe abriu a temporada 2024/2025 da WSL Latin America na quinta-feira e também já iniciou as atividades extracompetição no primeiro dia na Praia dos Molhes. Foi realizada uma visita guiada na arena do evento com 65 estudantes de escolas municipais, que também assistiram uma palestra da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (SMAURB), do “Programa de Educação Ambiental Oceanos: A Corrente da Vida”.

Esse programa foi criado com a finalidade de educar as crianças e a população, sobre o ambiente marinho, sua fauna e flora. Ainda na quinta-feira, a SMAURB organizou uma ação de plantio de espécies nativas no Memorial do Surf na Praia dos Molhes. Esta ação também envolveu a Secretaria Municipal de Educação e a ONG Onda Verde. As crianças participaram e curtiram bastante as ativações e por terem conhecido toda a arena de um grande campeonato de surfe.

Ação da SMAURB de plantio no Memorial do Surf na Praia dos Molhes. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

PESQUISA DE DIVERSIDADE – Também na quinta-feira, a WSL Latin America colecionou mais um feito inédito, realizando uma “Pesquisa de Diversidade” que é acessada via QRCode, é totalmente confidencial e seguirá em todas as etapas do CBBS. A WSL Latam se baseia em 4 pilares: performance, lifestyle, sustentabilidade e diversidade e inclusão. No tema “Diversidade e Inclusão” está a igualdade de gênero também alinhada com os ODS 5 e 10, os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU. Desde 2018, a WSL já igualou os prêmios das mulheres com os dos homens nos seus campeonatos e vem estruturando iniciativas para o dia a dia da produção de eventos e gestão de atletas.

O objetivo é ter mais pluralidade em toda a cadeia de fornecimento, nas equipes dos eventos e no universo do surfe. Algumas ações já implementadas em Torres são vagas afirmativas e exclusivas para mulheres, como ter sempre ao menos uma juíza nas competições, entrevistadoras e comentaristas na transmissão ao vivo e em outras atividades. Agora, inicia um raio-x da Diversidade na casa WSL Latam, fazendo um Censo de Diversidade 2024, analisando as realidades etapa a etapa e entendendo as diferentes diversidades regionais. A pesquisa é aberta à toda a base de fãs, público frequentador dos eventos, atletas e equipe de trabalho nos campeonatos. O objetivo é ter um quadro claro e quantitativo, para definir metas e compromissos públicos nesse tema, ainda tão polêmico em alguns nichos da sociedade em geral.

Nesta sexta-feira, uma das atrações é o convite especial para um grupo de alunos da APAE participar com seus pais, das ativações promovidas durante o campeonato na Praia dos Molhes. Haverá uma série de oficinas e atividades exclusivas para eles, como aulas de movimento no solo, alongamento, pinturas e até aulas de surfe. Também está programada uma ativação do Projeto Praia Limpa de limpeza e coleta de lixo na Praia dos Molhes e uma visita guiada na exposição Oceanos da SMAURB.

CIRCUITO 2024 – Assim como no ano passado, estão programadas cinco etapas do Qualifying Series no Circuito Banco do Brasil de Surfe em 2024. A primeira no Rio Grande do Sul, conta com o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Torres e parceria de mídia da Rádio Maristela FM. A segunda etapa é o Saquarema Surf Festival nos 15 a 21 de abril. As três últimas estão agendadas, porém ainda serão anunciados os locais. A terceira será nos dias 2 a 5 de maio, a quarta de 21 a 25 de agosto e a última de 26 a 29 de setembro. Todas as etapas são transmitidas ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e o campeão e a campeã no ranking das 5 etapas, recebem convite para competir no Corona Saquarema Pro apresentado por Banco do Brasil, que vai fechar o Challenger Series 2024 nos dias 12 a 20 de outubro na Praia de Itaúna.

RESULTADOS DA QUARTA-FEIRA NA PRAIA DOS MOLHES:

PRIMEIRA FASE – 3.o=65.o lugar (53 pts) e 4.o=81.o lugar (40 pts):
1.a: 1-Krystian Kymerson (BRA), 2-Diego Rosa (BRA), 3-Joas Bruno (BRA), 4-Silvio de Rose (BRA)
2.a: 1-André Luiz (BRA), 2-Kayki Araujo (BRA), 3-Manoel Roncalla (PER), 4-Marcelo Fraga (BRA)
3.a: 1-Kaue Germano (BRA), 2-Renaro Hubbe (BRA), 3-Marcel de Rose (BRA), 4-Guga Canella (BRA)
4.a: 1-Murilo Brandt (BRA), 2-Kaua Campos (BRA), 3-Guilherme Santos (BRA), 4-Victor Midon (BRA)
5.a: 1-Niccolas Padaratz (BRA), 2-Robson Gobbato (BRA), 3-Emerson Peres (BRA), 4-Cristiano Cardoso (BRA)
6.a: 1-Wesley Leite (BRA), 2-Lucas Haag (BRA), 3-André Costa (BRA), 4-Pedro Sommer (BRA)
7.a: 1-José de Mello (BRA), 2-Philippe Neves (BRA), 3-Denis Machado (BRA), 4-Daniel Pereira (BRA)
8.a: 1-Luy Arman (BRA), 2-Renan Borba (BRA), 3-Luan Moreno (BRA), 4-Lorenzo Souza (BRA)
9.a: 1-João Victor Scharnovski (BRA), 2-Walley Guimarães (BRA), 3-Aminandes Pamplona (BRA), 4-Edson de Pra (BRA)
10: 1-Caetano Vargas (BRA), 2-Luiz Henrique (BRA), 3-Micael Dimitry Werenicz (BRA), w.o-Natan Rosa (BRA)
11:1- Maximiliano Saenz (ECU), 2-Paulo Pereira (BRA), 3-Emanuel dos Santos (BRA), 4-Gabriel Ogasahara (BRA)
12: 1-João Carlos Ely (BRA), 2-Vanderlei Costa (BRA), 3-Giovani da Silva (BRA), 4-Gabriel Junior (BRA)
13: 1-Daniel Pedreira (BRA), 2-Bruno Carneiro (BRA), 3-Davi Ferreira (BRA), 4-Mateus Brum (BRA)
14: 1-Igor Moraes (BRA), 2-Theodoro Fabris (BRA), 3-Luciano Fornari (BRA), 4-Pedro Gross (BRA)
15: 1-Luã da Silveira (BRA), 2-Daison Pereira (BRA), 3-Derek Plachi (BRA), 4-Yuri Campos (BRA)
16: 1-Bruno Moraes (BRA), 2-Stefano Dornelles (BRA), 3-Noah Machado (BRA), 4-Kaian Bernardo (BRA)

SEGUNDA FASE – entrada dos 32 cabeças de chave:
——–3.o=33.o lugar (66 pts) e 4.o=49.o lugar (60 pts)
1.a: 1-Mateus Sena (BRA), 2-Krystian Kymerson (BRA), 3-Kayki Araujo (BRA), 4-Pericles Dimitri (BRA)
2.a: 1-Leo Casal (BRA), 2-André Luiz (BRA), 3-Cauet Frazão (BRA), 4-Diego Rosa (BRA)
3.a: 1-Adriano de Souza (BRA), 2-Eric Bahia (BRA), 3-Kauã Campos (BRA), 4-Kaue Germano (BRA)
4.a: 1-Caio Costa (BRA), 2-Murilo Brandt (BRA), 3-Renaro Hubbe (BRA), 4-Kailani Rennó (BRA)

PRÓXIMAS BATERIAS DO CIRCUITO BANCO DO BRASIL DE SURFE:

SEGUNDA FASE – entrada dos 32 cabeças de chave:
——–3.o=33.o lugar (66 pts) e 4.o=49.o lugar (60 pts)
5.a: Nacho Gundesen (ARG) e Alex Suarez (ECU), Niccolas Padaratz (BRA), Lucas Haag (BRA)
6.a: Peterson Crisanto (BRA) e Takeshi Oyama (BRA), Wesley Leite (BRA), Robson Gobbato (BRA)
7.a: Vitor Ferreira (BRA) e Samuel Joca (BRA), José de Mello (BRA), Renan Borba (BRA)
8.a: Lucas Silveira (BRA) e Ricardo João (BRA), Luy Arman (BRA), Philippe Neves (BRA)
9.a: Cauã Costa (BRA) e Tiago Braga (BRA), João Victor Scharnovski (BRA), Luiz Henrique (BRA)
10: Gustavo Henrique (BRA) e Matheus Navarro (BRA), Caetano Vargas (BRA), Walley Guimarães (BRA)
11: Alonso Correa (PER) e Lucas Catapam (BRA), Maximiliano Saenz (ECU), Vanderlei Costa (BRA)
12: Enrico Malhado (BRA) e Gabriel André (BRA), João Carlos Ely (BRA), Paulo Pereira (BRA)
13: Lukas Camargo (BRA) e Luan Ferreyra (BRA), Daniel Pedreira (BRA), Theodoro Fabris (BRA)
14: Ryan Kainalo (BRA) e Wallace Vasco (BRA), Igor Moraes (BRA), Bruno Carneiro (BRA)
15: Fernando Junior (BRA) e Patrick Plachi (BRA), Luã da Silveira (BRA), Stefano Dornelles (BRA)
16: Gabriel Klaussner (BRA) e Lucas Rosario (BRA), Bruno Moraes (BRA), Daison Pereira (BRA)

PRIMEIRA FASE FEMININA – 3.a=17.o lugar (200 pts) e 4.a=19.o lugar (186 pts):
1.a: Kiany Hyakutake (BRA), Nicole Brait (POL), Maria Allebring (SUE)
2.a: Maria Heinzen (BRA), Clarissa Tasca (BRA), Natalie Plachi (BRA), Alma Corgiolu (ARG)

SEGUNDA FASE – entrada das 12 cabeças de chave:
——–3.a=9.o lugar (350 pts) e 4.o=13.a lugar (295 pts)
1.a: Tainá Hinckel (BRA), Juliana dos Santos (BRA), Alexia Monteiro (BRA), 1.1
2.a: Kalea Gervasi (PER), Silvana Lima (BRA), Maya Larripa (ARG), 2.1
3.a: Daniella Rosas (PER), Julia Duarte (BRA), Genesis Garcia (ECU), 1.2
4.a: Laura Raupp (BRA), Brianna Barthelmess (PER), Dominic Barona (ECU), 2.2

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias