25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Comunidade de Bell’s se mobiliza contra câmera de site

A instalação de uma câmera que checa condições do mar em Winki Pop, localizado próximo a Bell’s Beach, na Austrália, gerou controvérsia e mobilização por parte da comunidade local. A câmera, em operação desde abril de 2022, é vinculada à plataforma Swellnet e acessível mediante assinatura premium.

Uma ONG dedicada à preservação e proteção dos oceanos, praias e ecossistemas costeiros, a Surfrider Foundation, iniciou uma petição solicitando a remoção da câmera, acumulando mais de 2.600 assinaturas. As preocupações expressas na petição incluem invasão de privacidade dos surfistas filmados, possibilidade de crowd devido à divulgação das condições de onda e alegações de lucro com terras públicas.

Por outro lado, autoridades locais afirmam que a câmera opera dentro dos limites legais, uma vez que está instalada em propriedade privada e fora de sua jurisdição.

O embate despertou interesse acadêmico, com a professora sênior de criminologia da Universidade Deakin, Monique Mann, e o colega Ian Warren, discutindo as implicações legais e regulamentares em um artigo intitulado “Surfvigilância: SurfCam da Swellnet em Winki Pop”. Eles recomendam uma investigação mais aprofundada para orientar a regulamentação de câmeras de surf tanto na Austrália quanto no mundo afora.

O presidente-executivo da Swellnet, Ben Matson, contesta o artigo acadêmico, alegando que a empresa não violou nenhuma lei. Além disso, ele destaca que outras reservas de surf na Austrália, como Margaret River, Noosa e Bondi, também possuem câmeras de surf.

A instalação de surfcams tem se tornado uma prática cada vez mais comum ao redor do mundo, proporcionando aos surfistas a conveniência de checar as condições do mar antes mesmo de pegarem suas pranchas. No entanto, essa modernidade está longe de receber apoio unânime.

+ Construção do palanque olímpico em Teahupoo será retomada

No Brasil, o mesmo embate já acontece, com câmeras que mostram as condições do mar 24 horas por dia em alguns picos de surf, gerando opiniões controversas entre surfistas e locais.

Os dois lados do debate apresentam argumentos válidos, mas se por um lado as câmeras oferecem a comodidade de conferir as ondas sem sair de casa, por outro não há duvidas de que essa facilidade atrai crowd para as praias.

A comunidade de Bell’s Beach continua mobilizada, enquanto o debate sobre a presença e regulamentação de câmeras de surf ganha relevância global.

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias