25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024
25 C
Papeete
terça-feira, 21 maio, 2024

Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023 tem dia decisivo na Praia da Grama

Todas as expectativas foram confirmadas e os surfistas deram um show nas ondas perfeitas da Praia da Grama, com Laura Raupp fechando a terça-feira com os recordes do primeiro dia do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023. A catarinense conseguiu a primeira nota 9 do campeonato num pôr do Sol mágico do fim de tarde e totalizou 16,50 pontos, batendo todas as marcas até da categoria masculina na etapa inédita do World Surf League (WSL) Qualifying Series (QS) numa piscina de ondas na América Latina. O espetáculo continua nesta quarta-feira, quando serão definidos o campeão e a campeã das cinco etapas do circuito.

“Estou superfeliz e acho que, como foi a última bateria do dia, fiquei o dia inteiro super ansiosa, querendo ir pra água competir e chegou o momento, então consegui soltar meu surfe e fazer um 9 ali”, disse Laura Raupp, sorridente após a vitória sobre a cearense Juliana dos Santos, com ambas eliminando as peruanas Kalea Gervasi e Brianna Barthelmess. “Eu fiquei observando o masculino e vi que as três primeiras manobras era onde saía a nota alta. Eu vi o Ian (Gouveia) fazendo um 7,5 assim, me inspirei nele, aí saiu um 9 ali e estou superfeliz”.

Laura Raupp divide a liderança do ranking do circuito a também catarinense Tainá Hinckel e comentou sobre a oportunidade de competir pela primeira vez numa piscina de ondas perfeitas, como as da Praia da Grama: “É uma oportunidade única, com certeza. Sou uma das líderes do ranking e é muito irado que a WSL e o Banco do Brasil colocaram esta última etapa aqui. É muito interessante esse formato e estou superfeliz em estar aqui aproveitando disso tudo. Estou tentando surfar ao máximo, mas ao mesmo tempo, me poupando pro campeonato. Espero continuar avançando para aproveitar ainda mais”.

Laura Raupp na onda que valeu a maior nota da terça-feira na Praia da Grama. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Antes de Laura Raupp fazer a melhor apresentação do Circuito Banco do Brasil de Surfe na Praia da Grama, a também catarinense Tainá Hinckel já havia estreado com uma vitória igualmente convincente. Tainá também lidera o ranking regional da WSL South America, que classifica 7 homens e 3 mulheres para o Challenger Series, circuito de acesso para a elite do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT). Tainá venceu sua bateria por 15,40 pontos, somando notas 8,17 e 7,23 na bateria 100% brasileira, contra Karol Ribeiro, Alexia Monteiro e Sophia Gonçalves.

“Essa é minha primeira vez aqui na piscina e fiquei muito surpresa, porque pensei que as ondas eram boas, mas não tanto assim”, disse Tainá Hinckel. “Eu tenho me divertido demais. Desde a primeira onda que surfei ontem (segunda-feira) aqui, eu já fiquei impressionada e estou muito feliz em estar aqui fazendo parte dessa etapa. Eu só estava mesmo querendo soltar meu surfe na bateria, então estou feliz que deu certo. Eu tentei ler bem a onda, mas com certeza tive algumas estratégias que me ajudaram e só tentei manter a calma e surfar o melhor que podia em cada onda”.

Tainá Hinckel começando a defender a liderança dos rankings na Praia da Grama. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

As surfistas que passaram pela segunda fase da categoria feminina, já se classificaram para as quartas de final na Praia da Grama. Tainá Hinckel vai disputar a primeira vaga para as semifinais com a argentina Vera Jarisz, terceira colocada no ranking do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023. A segunda quarta de final será entre Karol Ribeiro e a grande surpresa do dia, Luara Mandelli, de apenas 15 anos de idade. Laura Raupp está na terceira bateria e aguarda sua adversária, que sairá do confronto que vai fechar a segunda fase e ficou para abrir a quarta-feira, entre Sophia Medina, Naire Marquez, Mariana Areno e Kiany Hyakutake.

LÍDER DOS RANKINGS – Assim como Tainá Hinckel, Ian Gouveia também lidera os rankings do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023 e o regional da WSL South America. Ele foi o último da categoria masculina a estrear na terça-feira, na bateria que chegou a ser interrompida por motivo de segurança, pelo perigo de raios próximos da Praia da Grama. Ian surfa há muito tempo nas ondas da piscina e confirmou o favoritismo, vencendo uma bateria superdisputada contra a nova geração, com Ryan Kainalo ficando com a última vaga para a terceira fase, eliminando Caio Costa e Daniel Adisaka.

Ian Gouveia feliz após vencer sua primeira bateria na Praia da Grama. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

“Foi minha primeira bateria no evento e eu tenho feito duas linhas diferentes nas ondas aqui. A completa, surfando a onda até o final, e a mais curta, definindo três manobras fortes, que eu achava suficiente para tirar uma nota boa”, contou Ian Gouveia. “Nas três primeiras ondas, eu fiz a onda mais longa, então na última eu fiz as três manobras mais bem definidas e fiquei bem satisfeito quando completei a terceira. Só que quando eu saí, eu olhei pra trás e vi o Caio (Costa) fazendo uma onda incrível, dando um aéreo. E o Ryan (Kainalo) também detonou a onda de trás, então pensei que tinha rodado, mas minha nota foi boa e passei em primeiro, então estou amarradão”.

DESTAQUES DO DIA – Na competição masculina, o primeiro a se destacar nas ondas perfeitas da Praia da Grama, foi o campeão mundial Adriano de Souza. As baterias começaram nas esquerdas, com cada competidor surfando quatro ondas, sendo computadas as duas melhores. Mineirinho conseguiu três notas na casa dos 7 pontos e a maior valeu 7,77, vencendo a quinta bateria da terça-feira por 15,34 pontos. No confronto seguinte, Wesley Leite conseguiu uma nota 8,00, a mesma que Alex Ribeiro ganhou na sétima e penúltima bateria nas esquerdas.

Adriano de Souza se destacando na sua estreia na Praia da Grama. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Mas, todos os recordes foram batidos na segunda fase, realizada nas direitas da Praia da Grama. O paulista Miguel Pupo, que está na elite que vai disputar o CT em 2024, detonou sua primeira onda com uma série de pancadas verticais de backside que valeram nota 8,17. Com ela, Miguel aumentou para 15,47, o recorde de 15,34 pontos do Adriano de Souza. O paranaense Peterson Crisanto, que também já fez parte do CT, surfou muito bem também e avançou junto com Miguel Pupo, totalizando 15,33 pontos.

“De backside fica um pouco repetitivo, mas tentei ser o máximo de agressivo possível nas manobras e acho que deu certo, porque as notas saíram”, disse Miguel Pupo. “Um evento na piscina, você sabe que a onda vai vir boa sempre, as oportunidades estão aí e eu queria mostrar serviço. É muito especial o Banco do Brasil e a WSL Latam de fazer o evento aqui. Está todo mundo amarradão, acho que não tem ninguém que não esteja com um sorriso no rosto aqui, então a experiencia tá valendo. Estou feliz por ter tirado as maiores notas até agora, mas acredito que tem muita gente boa para competir ainda e vai sair mais notas altas aí”.

Edgard Groggia finalizando sua melhor onda com um aéreo. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

MAIOR NOTA – Realmente foi isso que aconteceu. O paulista Edgard Groggia, que venceu a terceira etapa em Salvador, na Bahia, é um dos profissionais que mais surfa na Praia da Grama e mostrou todo o conhecimento para arrancar a maior nota da categoria masculina. Ele estava até perdendo a bateria para o argentino Nacho Gundesen e o jovem catarinense Leo Casal, mas arriscou um aéreo para finalizar sua última onda e a nota 8,67 o levou do terceiro para o primeiro lugar. Edgard totalizou 15,17 pontos, Nacho passou em segundo com 15,13 e Leo foi eliminado com 14,67, com outro catarinense, Uriel Sposaro, ficando em último com 11,47.

“Faz parte do jogo né. Acho que isso que define esse esporte ser tão maravilhoso, com situações de virada no final”, disse Edgard Groggia. “Fico até um pouco triste pelo Leo (Casal) que tava quebrando, surfando bem sólido, então acabei tirando ele, mas faz parte do esporte e estou feliz por ter feito essa última onda nesse nível muito alto que foi essa bateria, com os moleques quebrando. Eu peguei duas ondas de manobras e aéreo, mas infelizmente acabei caindo e fiquei um pouco nervoso. Eu tava treinando bastante para fazer essa combinação de três manobras e o aéreo, então sabia que tinha potencial de fazer. Foi o que aconteceu e estou muito feliz pela maior nota do dia”.

Deivid Silva fez o maior somatório da categoria masculina na terça-feira. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

RECORDE DE PONTOS – Outro brasileiro que vai disputar o CT em 2024, também estreou batendo recordes nas direitas da Praia da Grama. Deivid Silva usou a potência do seu backside, que lhe garantiu a vitória no Challenger Series de Portugal, nas direitas de Ribeira D`Ilhas, para superar os 15,47 pontos do Miguel Pupo, aumentando para 16,16 o maior somatório desta quinta e última etapa. Sua melhor onda valeu 8,33 e o campeão mundial Adriano de Souza avançou junto com ele para a terceira fase, somando uma nota 7,40.

“Eu gosto muito de surfar direitas e competir numa piscina de ondas, com uma direita perfeita assim, é incrível”, disse Deivid Silva. “É um lugar que a onda é muito perfeita pra fazer as manobras e estou amarradão. A bateria foi muito boa, contra o Adriano de Souza, o Lucas Silveira, o Caio Okamoto da nova geração e estou feliz por ter passado em primeiro. Hoje fiz mais o surfe de borda, mas preciso melhorar ainda minha primeira manobra, que tá meio atrasada. Foi bom ter começado o campeonato na direita, que eu queria muito surfar. Agora vamos pra esquerda, que vai ser incrível também, então quem sabe consigo fazer um bom somatório nas esquerdas também”.

O MAIS COMPLETO – A última bateria da segunda fase feminina ficou para abrir a quarta-feira. Depois rolam mais quatro da terceira fase masculina, quando serão definidos os classificados para os confrontos homem a homem das quartas de final, que também serão disputadas somente de um lado da piscina. Já nas semifinais e nas finais, cada surfista terá direito de pegar três ondas nas esquerdas e três nas direitas.

Nestes duelos decisivos, que vai apontar o campeão e a campeã do Circuito Banco do Brasil de Surfe 2023, será premiado o surfista mais completo de cada confronto. Isto porque serão computadas a maior nota recebida nas esquerdas, com a maior nas direitas, ou seja, a melhor onda surfada de backside (de costas para a onda) e a melhor de frontside (de frente para a onda).

A competição será transmitida ao vivo da Praia da Grama pelo perfil da @WSLBrasil no TikTok e pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo da WSL.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias