26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 27 maio, 2024

Ex-surfista do CT Chris Davidson morre tragicamente em bar na Austrália

A comunidade do surf está de luto. O australiano Chris Davidson, 45, morreu no sábado, 24/9, após uma briga de bar na Austrália.

O surfista de Narrabeen teria sido morto quando foi atingido uma vez fora do South West Rocks Country Club, cerca de cinco horas ao norte de Sydney.

Acredita-se que foi o golpe contra o chão ao cair que poderia ter causado sua morte.

+ “A gente tem esses adesivos na prancha mas não dá”, diz surfista cearense sobre o surf profissional no Brasil

Ele foi tratado no local por paramédicos da NSW Ambulance antes de ser levado para o Hospital Kempsey, onde morreu pouco depois.

Grant Coleman, irmão do treinador de rugby Darren Coleman, foi preso após o ataque sob a acusação de agredir Davidson e causar sua morte.

A carreira de Davidson começou no início dos anos 90, quando ele foi contratado pela Rip Curl para interpretar “Search”. Foi então que ele conseguiu dar a volta ao mundo para curtir as melhores ondas na companhia de surfistas do porte de Tom Curren.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by SMASH Surf Productions (@smashsurf)

Em 1996, quando, com apenas 19 anos, ele foi convidado para o Rip Curl Pro em Bells Beach.

Foi lá que sua lenda foi forjada ao derrotar Kelly Slater em sua melhor forma (vídeo abaixo), em duas eliminatórias consecutivas, uma delas com uma prancha emprestada.

Depois dessa performance, Davidson teve alguns anos sombrios entre lesões e seu vício em bebida, uma história que se repetiu várias vezes no surf da época.

De acordo com a publicação australiana Stab Mag, o “comportamento selvagem e muitas vezes sua vida e carreira foram ditadas por seus vícios”.

“Como muitos outros surfistas profissionais de sua época, a vida de Davidson estava repleta de complexidade. Ele acumulou uma série de multas por dirigir embriagado ao longo dos anos, uma das quais incluiu um acidente de carro que ele teve a sorte de sobreviver.

A vida é uma tarefa complicada para qualquer pessoa normal, muito mais então para um surfista profissional que cresceu em uma era de abuso de substâncias glorificado. Perdemos um dos nossos hoje”, escreveu a Stab.

Em 2010 o surfista conseguiu ascender ao Circuito Mundial da WSL, terminando em 14º na classificação geral e em terceiro no Rip Curl Pro Portugal. Em 2011, apesar de alguns bons resultados, despediu-se da elite do surf profissional.

Nosso coração está com sua família e amigos.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias