Publicidade:

Caroline Marks testa positivo para Covid-19 e não embarca para Austrália

Os melhores surfistas do mundo já estão a caminho da Austrália, que recebe a segunda etapa do Tour, o Rip Curl Newcastle Cup, de 1 a 11 de abril.

Um voo exclusivo levará toda a comitiva internacional de Los Angeles até Sydney, onde cumprirão um período de quarentena.

No entanto, houve uma baixa de última hora na comitiva: a vice-campeã mundial Caroline Marks testou positivo à Covid-19.

+ Confira as quatro etapas australianas do CT
+ PU x EPS: as vantagens e desvantagens, segundo Avelino Bastos
+ Rob Machado dá uma aula de estilo e fluidez

A jovem surfista norte-americana foi o único caso positivo que resultou da testagem prévia ao embarque, sendo assim obrigada a cumprir um período de isolamento.

A WSL ativou todas as medidas de contingência, com os contactos diretos de Marks a serem também controlados devido a toda esta situação.

A WSL anunciou que Caroline Marks foi o único caso positivo entre a comitiva, com todos os outros a darem negativo.

Os surfistas têm de cumprir um período obrigatório de 14 dias de quarentena na chegada à Austrália e Marks pode voar para a Austrália apenas quando estiver totalmente recuperada do vírus, portanto, é possível que a jovem não consiga estar apta a competir até 1 de abril.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Caroline Marks (@caroline_markss)

“Tenho notícias tristes para anunciar”, começou por dizer Marks numa mensagem publicada em seu Instagram. “Testei positivo à Covid-19 e não vou voar para a Austrália com a restante comitiva. Estou seguindo todos os protocolos e espero regressar à competição quando estiver curada. Desejo um voo seguro a todo o staff e surfistas”, frisou.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias