25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

Associação de bodyboarding pede a proibição da entrada de Israelenses nas Maldivas

Em um comunicado publicado através de sua conta no Instagram, a Associação de Bodyboarding das Maldivas (MBBA) pediu a proibição da entrada de surfistas Israelenses no país.

Localizado no coração do oceano índico, as Maldivas são um arquipélago formado por 1.196 ilhas conhecido por abrigar algumas das melhores ondas do mundo. O país é muçulmano e sua capital, Malé, abriga a maioria da população.

+ Pe’ahi em ebulição: Primeiro swell da temporada de inverno chega forte

Citando uma “perturbadora falta de respeito demonstrada por surfistas israelenses” que visitaram as ilhas, o comunicado da MBB menciona que “eles representaram ameaças à segurança dos locais e de outros, recorrendo tanto à agressão verbal quanto física”.

Sem citar o ataque promovido pelo Hamas contra os israelenses em 7 de outubro, a declaração da MBBA também condenou e pediu o fim das ações de Israel contra os palestinos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, que até o momento resultou na morte de mais de 4.385 palestinos, incluindo mais de 1.000 crianças.

A associação também pediu ao governo que proíba a entrada de Israelenses nas Maldivas e insta proprietários de resorts, pousadas, operadores de safári e operadores turísticos a romper suas ligações com cidadãos do país enquanto houver o conflito.

Diz o texto da postagem:

A Associação de Bodyboard das Maldivas e toda a comunidade do surf condenam veementemente e exigem o fim das ações desumanas e injustas levadas a cabo por Israel contra os palestinos.

Os surfistas israelenses que visitam as Maldivas demonstraram uma perturbadora falta de respeito para com os surfistas locais e estrangeiros no line up. Eles fazem ameaças à segurança dos moradores e de outras pessoas, recorrendo à agressão verbal e física. Além disso, é crucial esclarecer o fato de haver israelenses envolvidos no setor do turismo, embora de forma discreta, a vários níveis. Solicitamos aos proprietários de resorts, proprietários de pensões, operadores de safaris e operadores turísticos que cessem as suas afiliações com essas pessoas.

Solicitamos que o governo das Maldivas imponha a proibição da entrada de israelenses nas Maldivas. Pedimos também ao governo que continue todos os esforços destinados a pôr fim às ações desumanas de Israel e a mostrar solidariedade para com os palestinianos. Apelamos ao governo das Maldivas para ajudar os palestinos de todas as maneiras que puderem.

Apelamos à ummah muçulmana para se unir e ser solidária contra estas ações desumanas de Israel e para ajudar os palestinos de todas as maneiras possíveis”.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias