Adriano de Souza enfrentou um dos maiores desafios da sua vida ao romper um ligamento do joelho direito. Solstício conta a história dessa batalha – assista

Por Redação HC

Adriano de Souza, aos 32 anos, pode dizer que viveu uma jornada e tanto. De uma comunidade carente na baixada santista ao topo do surfe, o campeão mundial de 2015 colecionou barreiras quebradas, mas enfrentou num momento muito particular de sua carreira um desafio novo: recuperar-se de uma das mais graves lesões sofridas por atletas (e pessoas em geral).

Mineiro rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito em Portugal, penúltima etapa do CT no ano passado. Todos conhecemos os possíveis finais dessa história: volta por cima, medo de novas lesões, insegurança para retornar ao alto nível.

Adriano encarou da mesma maneira que fez com todos os obstáculos da carreira: de frente, suando o sangue do trabalho duro. Voltou às competições no Oi Rio Pro, em junho passado.

A trajetória desta recuperação é o temo de Solstício, trabalho de Loïc Wirth com imagens de Erick Proost (e algumas dele mesmo também).

Loïc não só é um dos melhores diretores de filmes de surfe no Brasil como é um grande amigo e admirador confesso de Adriano. Assim, nenhuma direção poderia capturar tão bem quanto ele as sutilezas desta batalha introspectiva que Mineiro viveu nos últimos meses. Solstício é um filme bonito mas sem carregar na poesia. Um filme sobre fé, força e vontade de vencer. Assista!