Por Julio Adler Fizemos ontem, aqui na casa da Hardcore, uma aposta pra ver quem levaria o Pipe Masters e Dudu foi único que chegou perto, acusando KP como vencedor. E foi por muito pouco que Perrow, o inesperado, levou o caneco. A história foi assim… Com apenas as quartas, semis e final para encerrar o mais cobiçado de todos eventos do circuito mundial de surfe profissional, era de se esperar que o dia seria pleno de emoções. Quase foi. Owen Wright, minha frustrada aposta, foi a primeira vítima de Flores e das longas calmarias. Ninguém quebrou tantas pranchas ao meio em 2010 como Owen, ninguém quis tanto mostrar serviço, que sirva de lição aos novatos de 2011. Slater e Ace Buchan fizeram uma disputa café-com-leite, Slater surfava e Ace brigava com as ondas. Os dois quebraram pranchas ao meio, Ace numa bomba tentando escapar da guilhotina e Slater numa onda bem menor, perdendo seu tapete mágico, uma 5’7’’ quadriquilha que deixaria Bocão orgulhosíssimo. Surfando com sua prancha reserva, uma 5’9’’ triquilha, fininha e estreita (18’ 1/4), Kelly passou por Buchan em velocidade cruzeiro, sem sequer passar a marcha. Kieren Perrow não deu muita bola pro Jordy Smith e Dane Reynolds parecia disposto a ganhar seu primeiro evento da curta e assombrosa carreira de competidor, dispensando seu parceiro de crime Taylor Knox. Quando Kelly entrou na semi contra Jeremy, a história já estava escrita e todos sabíamos o final. Como diria Garrincha, esqueceram de combinar com o adversário e nesse caso, o oponente era o surfista que mais pedras teve que quebrar pra chegar até ali. Flores virou sua primeira bateria contra Ian Walsh no último minuto, fez CJ Hobgood correr atrás do prejuízo com uma das melhores pontuações do evento, virou uma bateria que parecia perdida contra Taj e, por incrível que pareça, bateu Slater no campeonato que todos juravam ser a cereja do bolo no décimo título do Careca. No final da bateria, Slater estava confuso com sua derrota, achei que vinha onda atrás, sempre vinha duas ondas… No começo da bateria eu tinha aquela sensação de que iria vencer, sabe quando você sente que essa é a sua bateria? Bem… Acho que não. Kieren, por outro lado, fez a melhor bateria de todo evento contra Dusty Payne e sempre conseguia achar ondas acima de 8 nas suas baterias. Saibam que Kieren fez seu nome, quase uma carreira, surfando esse mesmo lugar onde foi disputado o Billabong Pipeline Masters de 2010. São famosas suas tentativas de suicídio nos dias mais medonhos do Backdoor. Alguns invernos atrás, uma foto sua prestes a ser devorado por uma parede de água, que caía dois centímetros na sua frente em Backdoor, rodou o mundo em página dupla. O velho Kieren deu cabo de quase todo Modern Collective, Dusty, Jordy e Dane. A final foi um anti-clímax total, vento errado deformando o que restava das ondas e Flores virando uma vez mais nos últimos minutos, tornando-se o primeiro europeu a vencer no World Tour e no Havaí duma vez só. E pior, para os brasileiros, Flores passou Mineiro no ranking, deixando-o em 10. Mas, querem saber? Jeremy fala português fluente, é treinado por Nick Beven, franco-brazuca capoeirista cascagrossa e faixa preta de jiu-jítsu de Niterói, e um dos seus grandes amigos é Patrick Beven, irmão mais novo do Nick. E tem a virtude de ajudar a mudar a geografia dos campeões na ASP. Afinal, dizem, os europeus são os novos brasileiros do circuito. Billabong Pipe Masters Final Results: 1 – Jeremy Flores (FRA) 14.54 2 – Kieren Perrow (AUS) 13.77 Billabong Pipe Masters Semifinals Results: SF 1: Jeremy Flores (FRA) 17.50 def. Kelly Slater (USA) 17.23 SF 2: Kieren Perrow (AUS) 15.03 def. Dane Reynolds (USA) 6.83 Billabong Pipe Masters Quarterfinals Results: QF 1: Jeremy Flores (FRA) 14.00 def. Owen Wright (AUS) 7.43 QF 2: Kelly Slater (USA) 12.94 def. Adrian Buchan (AUS) 3.16 QF 3: Kieren Perrow (AUS) 13.00 def. Jordy Smith (ZAF) 12.00 QF 4: Dane Reynolds (USA) 17.00 def. Taylor Knox (USA) 3.37 ASP WORLD TOUR TOP 10 1. Kelly Slater (USA) 69000 Points 2. Jordy Smith (ZAF) 52250 points 3. Mick Fanning (AUS) 44750 points 4. Taj Burrow (AUS) 42000 points 4. Dane Reynolds (USA) 42000 points 6. Bede Durbidge (AUS) 39000 points 7. Adrian Buchan (AUS) 37250 points 7. Owen Wright (AUS) 37250 points 9. Jeremy Flores (FRA) 35750 points 10. Adriano de Souza (BRA) 32000 points Highlights Final – Billabong Pipe Masters