Por Eduardo Stryjer A equipe HARDCORE já está completa no Hawaii. Aqui estamos mais um ano na redação northshoriana. Eu, o diretor de redação Steven Allain, o estagiário Matias Lovro, o nosso colunista Julio Adler, o videomaker Pablo Aguiar e o fotógrafo Rafael Calsinski. A missão é produzir um conteúdo diferenciado sobre a temporada 2010/11 para as plataformas – site e revista. Cheguei ontem de noite, domingo. É estranho aterrissar nas Ilhas em clima de flat. Ainda estava com as imagens de Waimea na memória. Daquelas bombas aterrorizantes que chacoalharam a baía durante a última edição do Eddie Aikau. Sim, o freesurf em Pipeline já rolou. Thiago Camarão, Dean Morrison, Jay Thompson, Kalani Chapman e Fábio Gouveia foram alguns dos destaques nos cilindros de Pipe. Mas para quem está aqui, isso já é passado. A fome por ondas ainda é grande. Dá para sentir nos gestos, nos olhos dos surfistas. No day off ensolarado de hoje (WQS de Sunset parado), muitos atletas tiraram o dia para fazer compras, jogar tênis e mergulhar nas bancadas cobertas de areia. A espera agoniante é por um swell que limpe os fundos e faça com que o espetáculo seja reiniciado. Quando voltava pro QG pela ciclovia, parei em Sunset Beach para salgar a carcaça. O mar estava colado, mas a lenda Owl Chapman se preparava com sua “sunseteira” na beira d’água. Fez sua reza habitual e entrou no mar para remar, como um cachorro que mija no poste para marcar território. Cada um curte do seu jeito a calmaria que antecede a tempestade. Que a ordem seja essa.