23.2 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024
23.2 C
Hale‘iwa
quinta-feira, 18 abril, 2024

Parko 100%

A praia de Haleiwa, no Hawaii, foi palco do retorno de Parko. E como o aussie já havia afirmado em entrevistas recentes, só voltaria às competições quando estivesse 100%. E tudo indica que ele está. Ontem, na final do Reef Hawaiian, Joel Parkinson, Heath Joske, Julian Wilson e Joel Centeio remaram para o outside. O engraçado é que no round dos 32 Parkinson e Centeio já haviam se enfrentado, com vitória do havaiano. Depois, na semifinal ambos se encontraram novamente e desta vez deu Austrália, assim como na final quando não teve jeito e Parko dominou a bateria, somando 15 pontos, enquanto o vice colocado e defensor do título do evento, Joel Centeio, tirou apenas 7. “Este foi um ano de muitos altos e baixos emocionais”, disse Parko, “Eu cortei meu pé e fiquei fora de ação por seis meses, não surfei por três meses e não competi por outros seis. Aí eu tive um filho e veio alguma felicidade, então o Andy morreu. Tem sido um daqueles anos com uma coisa boa, depois uma ruim. O ano está praticamente acabado, nós vamos superar isso e eu estou tentando fazer umas emendas com todas as coisas boas que podem acontecer daqui pra dezembro”. Julian Wilson e Heath Joske fizeram em Haleiwa sua primeira final do ano em um evento seis estrelas prime e já concorrem ao JN Automotive Rookie, que premia o melhor estreante no final do circuito Vans Triple Crown. Entre os brasileiros, no round dos 32 eram quatro (Jadson, Alejo, Miguel Pupo e Wiggolly Dantas), mas somente Alejo Muniz passou para as quartas-de-final. E por lá ficou, perdendo junto com Mick Fanning, para Daniel Ross e Tom Whitaker. O catarinense ao chegar até as quartas assegurou a 29ª colocação no World Ranking e assim fica mais perto da sonhada classificação para o Tour 2011. Junto com o Reef Hawaiian Pro rolou o Clash of the Legends, um pequeno evento no qual foram reunidos quatro campeões mundias para ver qual deles ainda é o melhor. Nesta edição estiveram presentes Tom Curren, Tom Carroll, Sunny Garcia e Mark Occhilupo. Foram disputadas quatro baterias e o havaiano Sunny sagrou-se campeão, com Occy em segundo, Curren em terceiro e Carroll em quarto. “Achei que ia ser uma coisa tranquila e aquela primeira bateria me acordou para o fato de que aqueles caras estavam com fome e eles ainda queriam vencer. Mas foi uma honra surfar contra eles”, disse Sunny Garcia. A próxima parada do 28º Vans Triple Crown será em Sunset Beach para o O’Neill World Cup of Surfing, que terá início nesta quarta dia 24 de novembro, com transmissão pelo site do evento.

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias