23.2 C
Hale‘iwa
sábado, 20 abril, 2024
23.2 C
Hale‘iwa
sábado, 20 abril, 2024

Diferentes gerações, mesmo objetivo


SuperSurf volta a oferecem uma estrutura de ponta para os melhores surfistas brasileiros. Foto: Pedro Monteiro

O surf nacional está em festa! Este é o clima da primeira etapa do Circuito Brasileiro, disputada na praia de Maresias, litoral norte de São Paulo, até o domingo (19/07). Depois de dois anos, o campeonato veio preencher um lacuna do surf nacional e está sendo muito celebrado pelos competidores. 

Um mix de 160 surfistas de 12 estados brasileiros, mais Fernando de Noronha – que compete como território separado de Pernambuco, promoveu um encontro entre surfistas de diversas gerações. Alguns reencontrando seus antigos companheiros de Circuito, outros competindo e adquirindo conhecimento ao lado de seus idolos. 

Alguns, inclusive, participaram da primeira edição do Super Surf em 2000, e tiveram a oportunidade de competir novamente depois de15 anos, como Danilo Costa, Marcelo Trekinho, Raoni Monteiro, Anselmo Correia, Dunga Neto, Paulo Moura, Tanio Barreto, Costinha, Odirlei Coutinho e Rodrigo Wazlawick. 

Após o adiamento por falta de condições na quarta-feira, a quinta-feira amanheceu com ondas de meio metro, com ótimos momentos na variação de maré. Foram para água uma maratona de 27 baterias – 15 da primeira fase e 12 do segundo round, onde entraram em cena 32 cabeças-de-chave elevando o nível das disputas. 

O dia teve como grandes destaques o paranaense Peterson Crisanto e o pernambucano Halley Batista, ambos ainda na primeira fase do evento. 

Petersinho anotou o melhor somatório do dia – 17.73 de de 20 pontos possíveis, para derrotar Philipe Chagas, Marcus Cintra e Jofrey Seibel na décima terceira bateria da rodada de abertura. 


Peterson Crisanto é autor do melhor somatório do dia nas ondas de Maresias (SP). Foto: Pedro Monteiro

 

Local de Maracaípe, Halley foi o autor da maior nota do dia – 9.63. O Cometa, como é conhecido, avançou em primeiro no o décimo quinto confronto, que terminou com Vitor Ribas em segundo, e Adriano Camargo e Lucas Pazolini na terceira e quarta colocação, respectivamente. 

Quem também estreou com vitória foi o carioca Marcelo Trekinho, recordista histórico do SuperSurf com três notas 10 recebidas nas mesmas ondas de Maresias em 2002 e único a vencer duas vezes a etapa de São Sebastião.

"Sendo SuperSurf, ainda mais em Maresias, eu não ia perder. Eu estava no Rio (de Janeiro), em casa, então vim mesmo pra participar", disse Marcelo Trekinho. "Eu venho pra cá desde os 14 anos de idade, aí comecei a competir nos amadores, depois nos profissionais, sempre vim, desde moleque, então eu adoro essa praia. Está todo mundo empolgadíssimo com a volta do SuperSurf, várias gerações competindo no mesmo campeonato, com vontade de correr, passar baterias e deu uma instigada na galera que não tava competindo, como eu, que tive uma carreira de competidor e deu maior vontade de voltar mesmo".


Trekinho relembra momentos de glória na praia de Maresias. Foto: Pedro Monteiro

 

O evento também contou com a estreia do caçula da família Pupo. Aos 14 anos, Samuel competiu como convidado da Federação Paulista e foi o participante mais jovem do evento. Na sua estreia, venceu o capixaba Krystian Kymerson e os cariocas José Eduardo e Mariano Arreyes. O grommet ainda voltou para o mar para liderar novamente sua bateria contra os paulistas Magno Pacheco e Amo Anheli, e o carioca Pedro Neves. 

"Eu estava muito ansioso por ser um campeonato em casa e muito importante, um evento realmente profissional, com prioridade (de escolha da próxima onda) e tudo, tive que prestar bastante atenção, mas consegui achar boas ondas para fazer uns aéreos e vencer as baterias", disse Samuel Pupo. "Eu quero tentar avançar o máximo possível para ir ganhando experiência, porque aqui tem muitos surfistas bons, que já competem há bastante tempo, então eu sei que tenho que surfar muito bem porque a galera está vindo com tudo também". 


Caçula do evento, Samuel Pupo vence duas baterias na abertura do Oi SuperSurf 2015. Foto: Predro Monteiro

Vale lembrar que uma vitória em Maresias vale 6.000 pontos e praticamente definirá o líder do ranking brasileiro, atualmente ocupada pelo jovem paulista Deivid Silva.

Uma nova chamada acontece nesta sexta-feira, às 7am (horário de Brasília). O evento é transmitido ao vivo pelo site HARDCORE.com.br e OISUPERSURF.com.br. Fique ligado!

Confira abaixo os resultado do Round 1 e 2 e as baterias pendentes da segunda e terceira fase

 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias