Publicidade:

Brasileiros retomam o controle


Líder Adriano de Souza supera repescagem nesta segunda-feira de boas ondas em Supertubes. Foto: WSL / KC

Por Felipe Fernandes

Após dois dias de folga, as ondas subiram e o terral soprou forte para a retomada do J-Bay Open, sexta etapa do WCT na temporada, disputada nas longas direitas de Supertubes, África do Sul. 

Após uma estreia desanimadora dos brasileiros, todos os representantes tiveram uma nova chance na repescagem (Round 2) e o surf tupiniquim voltou a brilhar nesta segunda-feira de ondas perfeitas de até 5 pés em Jeffreys Bay. 

Os líderes Adriano de Souza e Filipe Toledo começaram o dia bem, com duas vitórias sobre os wildcards locais. A dupla contou com a ajuda de Adrian Buchan, que eliminou o terceiro colocado do ranking, Owen Wright, na terceira fase e deu a oportunidade dos brasileiros abrirem vantagem na briga pelo título mundial. 

O wildcard brasileiro Alejo Muniz ficou confortável no outside e passou pelo australiano ex-campeão do evento, Taj Burrow. Gabriel Medina não encontrou dificuldades para derrotar o irlandês Glenn Hall e Wiggolly Dantas espancou as ondas de backside para eliminar o compatriota Miguel Pupo. 

O potiguar Italo Ferreira superou o havaiano Dusty Payne na segunda fase, mas caiu diante de Kai Otton no Round 3. Jadson André e Tomas Hermes também são baixas desta segunda-feira. 

MINEIRO E FILIPE – LÍDERES RETOMAM O MANCHE

O dia começou com o atual líder do ranking, Adriano de Souza, eliminando o local Slade Prestwich na primeira bateia do dia. Mesmo com nove ondas surfadas, o brasileiro teve dificuldade para encontrar as boas. Depois de passar a bateria inteira atrás no placar, Mineiro superou as notas de Prestwich apenas nas duas últimas ondas, com 8.00 e 6.00 contra 5.87 e 7.17 do local vencedor das triagens. 

Em seguida, o vice-líder Filipe Toledo encarou o local Michael February, que substituiu Matt Banting de última hora, após o Top sofrer uma lesão durante os treinos em Jeffreys Bay. A bateria começou quente. February abriu com um full rotation em uma intermediária para conseguir 5 pontos na primeira onda e 3 pontos na sequência. Filipinho não ficou para trás e na série seguinte anotou 8 pontos e 2.17, em seguida. Após 20 minutos de calmaria em J-Bay, Filipinho usou a prioridade para bloquear Michael na primeira onda da série e somou 4 pontos. O local veio na onda de trás e chegou a assustar o brasileiro, mas a onda correu demais e Michael acabou eliminado. 


Filipinho passa por local na repescagem e segue na briga pelo título do J-Bay Open. Foto: WSL / Kirstin

Na terceira bateria do dia, o wildcard brasileiro Tomas Hermes travou um bom duelo disputado contra o australiano Owen Wright, atual terceiro colocado do ranking. Tomas se esforçou para ajudar os líderes Filipe e Mineiro, e atacou com estilo nas onda de Jeffreys Bay. Mas Owen conhece a cartilha do pico – foi mais paciente no início da bateria, esperou a melhor série e trabalhou a onda com vários elementos adorado palos juízes, para tirar 9 pontos e desequilibrar a disputa.

ALEJO CONFORTÁVEL

Se existe uma onda no Tour na qual o power surf de Alejo Muniz se encaixa, esta onda é Jeffreys Bay. 

Na quarta bateria seguida com brasileiros, o wildcard catarinense dominou o duelo contra o australiano sexto colocado do ranking, Taj Burrow. A disputa foi quente e ambos os surfistas começaram bem. Mas Alejo estava um passo à frente. Conseguiu variar as manobras e imprimir mais pressão no seu surf para superar o futuro pai, Taj Burrow, pelo placar de 18.13 contra 15.83.

O potiguar Italo Ferreira foi outro que se recuperou no J-Bay Open. Após a derrota para Fred Patacchia na primeira fase, Italo aplicou uma bela virada sobre o havaiano Dusty Payne na sexta bateria do Round 2. Dusty largou na frente com 6.83 e somou 8.33, mas o potiguar não desanimou e construiu duas ondas bem trabalhadas até o inside, para somar 7.93 e 8.03. 

Logo após a classificação de Italo, Gabriel Medina mostrou-se mais explosivo no duelo contra o irlandês Glenn Hall, e aplicou manobras amplas nas grandes paredes de Supertubes, para sair com a vitória pelo placar de 16.00 contra 10.44. Com dois minutos para o final, Glenn Hall quebrou a prancha e expressou sua frustação dando cabeçadas na parte que ficou presa ao leash, em uma cena, no mínimo, engraçada.

Na décima bateria da segunda fase, Jadson André travou um duelo de alto nível e disputadíssimo contra o australiano Kai Otton. O potiguar começou bem com 7.50 e 8.00. Kai deu o troco e pulou na frente com 7.00 e 8.77. Na série seguinte, o brasileiro assumiu novamente a liderança com 9.07, mas viu Kai dar a cartada final na onda de trás e concretizar a vitória ao tirar 9.33. 

WIGGOLLY DEVOLVE VITÓRIA DE MIGUEL

A penúltima bateria da segunda fase, colocou frente-a-frente os brasileiros Wiggolly Dantas e Miguel Pupo, uma ótima oportunidade para Guigui dar o troco da derrota sofrida em Snapper Rocks para seu compatriota – e foi isso que ele fez. O ubatubense abriu os maiores leques do dia e mostrou que Itamambuca foi uma ótima escola para o seu backside. Guigui somou 9.00 e 8.77 nas melhores ondas. Apesar das notas boas – 7.93 e 7.30, Miguel mostrou-se descomprometido em algumas manobras e não conseguiu impressionar os juízes. 

ROUND 3

Único brasileiro a competir na terceira fase, Italo Ferreira levou a pior diante do algoz de Jadson, Kai Otton. Novamente o australiano não desperdiçou as oportunidades e teve e negociou muito bem com as rápidas ondas de J-Bay , soltando floaters e rasgadas que lhe garantiram a vitória pelo placar de 15.50 contra 12.83 do brasileiro. 

Apesar da derrota, Italo segue com a campanha digna de título de “Rookie of the Year”. Italo ocupa a oitava colocação no ranking, enquanto o segundo melhor novato é Wiggolly Dantas, dono do 17ª posto. 

PREVISÃO E CHAMADA

Os gráficos apontam que o swell deve manter tamanho para amanhã (terça-feira) e o vento deve manter-se terral na parte da manhã. No período da tarde a ondulação perde um pouco de força e o vento começa e rodar. 

A chamada oficial acontece às 2h45 da madrugada (horário de Brasília), com link para transmissão no site da HARDCORE. Acompanhe tudo que rola pelo nosso TWITTER e FACEBOOK

 

 

 


Apesar da derrota, Italo Ferreira é apontado como favorito ao título de "Rookie of the Year". Foto: WSL / KC 

 

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias