25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

Rip Curl Pro Bells: Dia 4

 

Por Kevin Assunção

O swell continuou nesta segunda-feira (1), para mais um dia de Rip Curl Pro Bells Beach, que termina terça (ainda segunda no Brasil). Adriano de Souza, Filipe Toledo e Willian Cardoso representam o Brasil nas quartas de final.

Willian foi o destaque mais uma vez. O catarinense, que ocupa a vaga de Miguel Pupo, lesionado, já havia vencido Taj Burrow. No Round 3, ele derrotou Kelly Slater.

Kelly tirou dois tubos e somou 14.96 pontos. Mas Willian emplacou a sua marca registrada: manobras fortes e precisas. No início, logo após Slater entubar e finalizar a onda com cutbacks, ele espancou uma direita até o inside e tirou 8.10.

Na segunda metade da bateria, Willian substituiu suas notas. Primeiro, executou seis manobras até o inside e tirou a maior nota da bateria, 8.43. Depois, já na liderança e a 3 minutos do final, mandou quatro pancadas e aumentou a somatória para 16.66.

No Round 4, Willian repetiu o power surf e mandou os australianos Josh Kerr e Adrian Buchan para a repescagem. Nas quartas, ele enfrentará o rookie Nat Young.

A caminhada de Filipe Toledo para as quartas começou contra Gabriel Medina. No duelo entre paulistas, Gabriel manobrou bem de backside em duas direitas, mas Filipinho foi mais preciso e somou 15.10 pontos, contra 14.56 de Medina.

Na bateria seguinte, o ubatubense encontrou Mick Fanning e o inspirado Jordy Smith, que cravou a maior somatória do evento até agora (19.10).

Toledo encontrou duas direitas e soltou a rabeta nas manobras, que lhe renderam notas 9 e 8.67. Já Jordy jogou mais água nas manobras e foi mais preciso. O sul-africano tirou 9.50 e 9.60.

O paulista derrotou CJ Hobgood na repescagem e vai reencontrar Jordy nas quartas. Na onda de abertura, depois de duas manobras invertendo a rabeta, quatro cutbacks e um floater, Filipe decolou em um alto e controlado alley-oop, que fez quem acompanhava da areia vibrar. Os juízes também gostaram e deram 9.67.

Filipinho repetiu o repertório a 5 minutos do final, mas, desta vez, finalizando a onda com aéreo reverse com grab. Ele tirou 8.67, somou 18.34 pontos e despachou CJ, que acumulou 12.94.

Da mesma forma que Willian, Adriano de Souza precisou de duas baterias para se garantir nas quartas. Na terceira fase, o surfista do Guarujá eliminou Kolohe Andino.

Mineiro abriu com manobras fortes ligadas com rapidez, que renderam 9.50. Na liderança e sem a prioridade nos minutos finais, Adriano dropou uma direita, correu, aplicou uma rasgada embaixo do lip, seguida por mais quatro manobras potentes, para garantir 9.17.

No Round 4, o paulista espremeu uma direita até o inside e conectou três manobras em outra onda, para tirar 15.60 pontos e mandar Raoni Monteiro e CJ Hobgood para a repescagem.

No R5, Raoni, que bateu Joel Parkinson no Round 3, não conseguiu superar Mick Fanning, que será o adversário de Mineiro nas quartas. O australiano encontrou as direitas que mais abriram e tirou 7.67 e 8.70.

Raoni surfou suas melhores ondas nos 7 minutos finais. Na primeira, tirou 5.63 por batida e layback. Depois, recebeu 9 pontos, a maior nota da bateria, por uma sequência de quatro manobras. Mas depois não surgiu uma onda com potencial para o surfista de Saquarema encontrar os 7.37 pontos que precisava.

A chamada para o último dia de Rip Curl Pro Bells Beach acontece terça-feira (2), às 7h30 – ainda segunda no Brasil, às 17h30 (Brasília). Acompanhe ao vivo aqui. 

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias