25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024
25 C
Papeete
sábado, 13 julho, 2024

O’Neill Coldwater Classic: Dia 2

 


Medina voou alto num 360º para se manter na competição.

Por Kevin Assunção

Ondas em torno de 6 pés chegaram neste domingo (4) a costa de Steamer Lane, em Santa Cruz, para a conclusão do Round 2 e das oito primeiras baterias do Round 3 do O’neill Coldwater Classic. Alejo Muniz, Gabriel Medina e Raoni Monteiro avançaram para o Round 4. Já Adriano de Souza disputa a terceira fase provavelmente nesta segunda-feira.

Gabriel foi o primeiro brasileiro classificado para o Round 4. A vítima foi Taylor Knox, que liderou durante a maior parte da bateria e somou 14.77 pontos. Medina não encontrava boas direitas, então posicionou-se mais ao meio de The Lane, nos 10 minutos finais.

A estratégia deu certo. Primeiro, decolou em um aéreo reverse de frontside, que valeu 7 pontos. Prestes a soar a buzina, ele precisava de 7.78. Outra esquerda apareceu e, dessa vez, Gabriel deu um giro completo no ar, segurando a borda, e foi contemplado com 9.53.

Logo em seguida, Raoni dividiu o lineup com Jordy Smith, em bateria que teve ondas inconsistentes. O "Giant Killer"  assumiu a liderança a 10 minutos do fim, quando tirou 7.33, por um floater seguido de batida e três cutbacks. Depois, executou uma batida e um cutback, recebeu 3.77 e despachou Jordy.

Antes, no Round 2, Raoni, tinha vencido Julian Wilson. O aussie liderava com 5.83 e 7.27. Raoni tinha 5.57 como melhor nota. No final, o carioca desferiu de três cutbacks com muita pressão, jogou as quilhas pra cima do lip numa batida e finalizou com dois floaters, o que rendeu 8.87.

Alejo entrou na água depois de Raoni e, ante o aussie Bede Durbidge, repetiu o bom desempenho brasileiro. Nos 10 minutos iniciais, o catarinense executou duas boas sequências de manobras, com rasgadas invertendo a rabeta, e cravou 13.33. 

Na fase anterior, Alejo eliminou Miguel Pupo. O surfista de Bombinhas tirou a maior nota da bateria (8.77), depois de executar duas rasgadas com pressão e um floater. Pupo explorou ao máximo as pancadas de backside. Precisando de 7.88, a 5 minutos do final, o paulista executou duas rasgadas e duas batidas. Mas os juízes deram 7.28.

No Round 2, Mineiro garantiu a classificação contra Adam Melling. As ondas não apresentaram tanta qualidade, mas Adriano explorou ao máximo as direitas e cravou 13.43 de somatória. 

Adriano conseguiu a primeira boa nota com 10 minutos de bateria, com três manobras potentes que valeram 6.50. No último minuto, mandou duas rasgadas e dois floaters, para fechar a fatura com 6.93. Na terceira fase, Mineiro vai enfrentar Patrick Gudauskas.

A melhor performance da etapa até agora foi a do australiano Adrian Buchan, no Round 2. Contra o conterrâneo Kieren Perrow, Ace aproveitou o surf de backside para jogar muita água em duas sequências de manobras, para cravar 18.33. No entanto, ele perdeu para o sul-africano Travis Logie na fase seguinte.

Restam dois

Com as derrotas de Mick Fanning e John Florence, a briga pelo título do WCT está entre Joel Parkinson e Kelly Slater. Os dois venceram no Round 3, o que leva a decisão para o Hawaii, no Pipe Masters, a última etapa do Tour.

Atual líder do WCT, Joel eliminou o local de Steamer Lane, Nat Young. Parko construiu o resultado na primeira metade do duelo. Jogando muita água nas manobras, somou 15.63. Na bateria seguinte, o aussie torceu para o havaiano Dusty Payne, em duelo equilibrado contra Kelly Slater.

Após algumas trocas de liderança, Kelly, a 8 minutos do final, executou duas rasgadas invertendo muito a rabeta e finalizou com uma batida na junção. Com isso, assumiu a liderança com mais 8.67 pontos na contagem.

Dusty, então, precisava de 9.34 pontos para virar. Nos últimos segundos, dropou uma direita e decolou em um alto aéreo reverse bastante invertido. Apesar de impressionar, recebeu 8.27 pontos.

Slater abriu o Round 2, em confronto contra Jason Collins. As ondas não estavam muito boas, e Collins, local de The Lane, era o melhor com 9.40 pontos somados. Slater reagiu nos 5 minutos finais. ao espancar duas direitas e cravar 11.20 de somatória.

Brasileiros fora

Jadson perdeu para Taj Burrow, na terceira fase. O australiano garantiu a vitória com fortes manobras de frontside, que renderam 14.83 pontos. A 2 minutos do fim, o potiguar diminuiu a vantagem de Taj, após conectar cutback, rasgada e batida e receber 6.67. Mas não encontrou outra onda boa.

No R2, Jadson eliminou Mick Fanning e, consequentemente, a chance do australiano conquistar o tricampeonato mundial. Líder da bateria, com 9.73 como melhor nota – a maior do campeonato até então -, Fanning deixou Jadson pegar uma direita nos instantes finais. Jadson ligou bem oito batidas e recebeu 7.50, 0.03 a mais do que precisava. 

Já Heitor Alves foi eliminado na repescagem por CJ Hobgood. O americano acertou boas manobras e cravou 12.17 pontos de somatória, contra 10.53 do cearense.

A próxima chamada está marcada para segunda-feira (5), às 12h30 no horário de Brasília. Acompanhe ao vivo aqui.

Round 2
#1 Kelly Slater (USA) 11.20; Jason Collins (USA) 9.40
#2 Jadson André 14.10; Mick Fanning (AUS) 14.06
#3 Matt Wilkinson (AUS) 14.50; John Florence (HAW) 8.66
#4 Adriano de Souza 13.43; Adam Melling (AUS) 11.50
#5 Raoni Monteiro 14.44 ; Julian Wilson (AUS) 13.67
#6 Owen Wright (AUS) 10.63; Tiago Pires (PRT) 8.27
#7 Damien Hobgood (USA) 15.50; Josh Kerr (AUS) 12.94
#8 Jeremy Flores (FRA) 13.47 ; Kolohe Andino (USA) 12.53
#9 Adrian Buchan (AUS) 18.33 ; Kieren Perrow (AUS) 12.60
#10 CJ Hobgood (USA) 12.17; Heitor Alves 10.53
#11 Alejo Muniz 15.10; Miguel Pupo 15.06
#12 Bede Durbidge (AUS) 13.40; Brett Simpson (AUS) 9.07

Round 3
#1 Taj Burrow (AUS) 14.83; Jadson André 12.17
#2 Travis Logie (ZAF) 14.67; Adrian Buchan (AUS) 11.13
#3 Gabriel Medina 16.53; Taylor Knox (USA) 14.77
#4 Raoni Monteiro 11.10 ; Jordy Smith (ZAF) 10.23
#5 Alejo Muniz 13.33; Bede Durbidge (AUS)
#6 Joel Parkinson (AUS) 15.63; Nat Young (USA) 12.43
#7 Kelly Slater (USA) 15.84; Dusty Payne (HAW) 14.77
#8 Michel Bourez (PYF) 12.40; Kai Otton (AUS) 5.27
#9 Jeremy Flores (FRA); Yadin Nicol (AUS)
#10 Owen Wright (AUS); Matt Wilkinson (AUS)
#11 CJ Hobgood (USA); Damien Hobgood (USA)
#12 Adriano de Souza; Patrick Gudauskas (USA)

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias