Publicidade:

Shipstern’s por quem conhece

Texto Fernando Maluf / fotos Andrew Chisholm

Nosso colaborador e local da Tasmânia, Andrew Chisholm, é atualmente o principal fotógrafo da poderosa Shipstern’s Bluff – uma das ondas mais pesadas do mundo. A cada swell, “Chiz” está lá para registrar tudo que rola na direita assassina – seja da segurança do canal ou de dentro d’água. Aqui você confere as melhores imagens já registradas por ele no pico e, a seguir, um raio X da onda mais cabulosa da Tasmânia.

Para quem não sabe, a Tasmânia é uma ilha estado localizada ao sul do continente australiano. Em seu litoral sudeste, a Tasmânia é recortada por uma baía com face para o sul, chamada Storm Bay, (Baía da Tempestade). Na ponta leste da Baía da Tempestade, na região do Cape Raoul, dentre os muitos paredões rochosos que separam a terra do mar, um se projeta de maneira especial água a dentro, desmanchando-se abruptamente num fundo raso de pedras. Ao alcançar esse fundo raso de pedra, ondulações geladas que percorreram milhares de quilômetros desde o Oceano Antártico transformam-se em tubos mutantes e assassinos da onda que chamamos Shipstern’s Bluff.

Shipstern’s foi durante muito tempo privilégio de poucos locais da Tasmânia, que, por falta de referências, a consideravam insurfável. Até que, em 1997, o desbravador Andy Campbell quebrou o feitiço e se jogou sozinho nas águas geladas da Baía da Tempestade para desvirginar os canudos deformados de Shipstern’s Bluff.

Depois disso, começou a crescer aos poucos na grande ilha australiana o boato de que a monstruosa onda da Tasmânia existia mesmo e era sim surfável. Então, nos idos de 2000, numa com o fotógrafo Sean Davey, os surfistas Kieren Perrow, Drew Courtney e Mark Matthews confirmaram os rumores e revelaram ao mundo o segredo de Shipstern’s. Embora seja hoje mundialmente famosa e uma referência no big surf, a dificuldade de acesso e as condições extremas do pico mantém Shipstern’s Bluff com o crowd de uma onda secreta.

Shipstern’s desperta a alma de qualquer surfista. Grandes nomes do surf, como Kelly Slater, Andy Irons e Joel Parkinson, já encararam a longa viagem até Hobart e a caminhada de quase uma hora numa trilha mal feita entre os arbustos secos típicos da região para dropar suas bombas.

Enquanto você decide se tem disposição – ou se tem condições – de embarcar numa viagem até os confins da Tasmânia e encarar os tubos sinistros da Baía da Tempestade, a HARDCORE traz pra você o melhor de Shipstern’s Bluff.

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias

Gabriel Medina e Lucas Silveira...

La Punta de Zicatela, no México, é um point break que quebra no canto...

Gabriel Medina: Highlights da vitória...

Gabriel Medina foi o grande campeão do Rottnest Search, última etapa da perna australiana...

Brett Barley entre Skeleton Bay...

Pensa em um cara que provavelmente passa mais tempo em água do que em...

Tubos de sonho na Indonésia...

Koldo Illumbe. Já ouviu falar este nome? O jovem surfista de 15 anos, meio...