Publicidade:

FINAL DAY

Por Julio Adler “Entusiasmo é tudo. Precisa ser tenso e vibrante como uma corda de violão.” Pelé Como resistir aos clichês no final dum dia como esse ? Slater derrotou Taj uma vez mais, já são 23 x 7, um verdadeiro massacre. E novamente Taj foi o melhor surfista do evento, como tantas vezes em Snapper, Trestles, Bells ou qualquer direita que lhe permita desempenhar sem pressão. Pressão foi a palavra mais usada durante o Quik Pro de 2011. A chave do sucesso foi saber usá-la a favor, não contra. Dusty Payne, Matt Wilkinson, Alejo, Saca e Brett Simpsom se beneficiaram da pressão alheia e fizeram fila. Os Quintos dos infernos Dusty começa a sentir o gosto de ir até as quartas. Aposta do Andy para um futuro havaiano desafiando quem estiver lá em cima com a coroa, Dusty pra mim é uma incógnita. Até hoje não sei se acredito nos filmes ou nos campeonatos. Wilko é e sempre será um farsante. Seu surfezinho de meias manobras pode enganar um monte de gente por algum tempo, mas não todo mundo o tempo todo. Gosto da atitude dele. A afirmação de que ele é hoje o melhor goofy do WT se dissipará durante o ano quando Jadson, Bobby e Owen despertarem. Nada tenho a dizer do Brett Simpsom a não ser que gostaria muito de ver Adriano ou Alejo julgados com tamanha generosidade. Falando no Alejo, o impacto que teve seu desempenho na sua primeira etapa do WT ainda vai reverberar por muito tempo e já lhe rendeu uma legião de fãs que não tivemos antes com um surfista brasileiro desde Fabinho e Teco. Apenas Mineiro teve melhor estreia, terceiro em 2006. Contra Jordy, Muniz competiu brilhantemente, foi frio e jogou toda responsabilidade pro sul-africano deixando-o enlouquecido. Jordy tinha tanta certeza duma vitória fácil que, assustado, passou os últimos 10 minutos da bateria tentando piruetas enquanto Alejo esperava pelas séries. Não tenham dúvida que Alejo perderia para qualquer um dos top 10 na mesma situação. A hierarquia ainda conta muito na ASP. Alejo mostrou que não está ali a passeio e todos receberam a mensagem. Terceiros Saca teve seu melhor inicio de temporada da carreira. Venceu sua primeira bateria e sempre esbanjou confiança em todas disputas. Bateu Jadson duas vezes e Wilko, sempre com a desvantagem de surfar de frente contra os goofys. Nunca surfou a 100% mas teve sorte – e sem sorte, escreveu Nelson Rodrigues, não se chupa nem um picole. Contra Slater, nada podia fazer. Duas baterias decididas nos últimos 10 segundos esgotaram Jordy que nem ofereceu resistência ao Taj. A presa Taj foi o melhor surfista, escrevi acima. Em todos textos você vai achar a mesma frase. Pouco importa. Cada derrota sofrida pelo sempre sorridente Taj vai o corroendo por dentro, ninguem aguenta tanta humilhação. Atrás do sorriso tem um homem honrado com seus brios estraçalhados por outro homem, frio e cruel. 2011 parecia o ano da redenção do Taj, como em 2010. Espero que ele ainda tenha energia para incendiar o resto do circuito, porque na sua frente esta… O Predador Quando Diogo Alpendre, editor do saite da Surf Portugal pediu-me uma previsão para a primeira etapa, escrevi sem pensar muito, Slater vencerá porque não há justiça no mundo do surfe profissional. E o que é justiça nesse mundinho minúsculo da ASP ? Justiça é vencer o melhor ? Não tenha tanta certeza disso. Historicamente justiça nunca foi o forte do surfe profissional. Que o diga MP, Horan, Kealoha, Elkerton, Egan, Machado, Dorian, Joel e Taj. Slater tem aquele olhar assassino novamente. Rezem pelos outros. Julio Adler é colunista da HARDCORE e autor do blog Goiabada (http://julioadler.blogspot.com/) Para mais informações acesse o site do evento

QUIKSILVER PRO GOLD COAST FINAL MATCH-UPS:

1 – Kelly Slater (USA) 11.20

2 – Taj Burrow (AUS) 10.17

QUIKSILVER PRO GOLD COAST SEMIFINAL MATCH-UPS:

SF 1: Kelly Slater (USA) 16.77 def. Tiago Pires (PRT) 8.20

SF 2: Taj Burrow (AUS) 17.56 def. Jordy Smith (ZAF) 11.40

QUIKSILVER PRO GOLD COAST QUARTERFINAL RESULTS:

QF 1: Kelly Slater (USA) 15.40 def. Dusty Payne (HAW) 9.06

QF 2: Tiago Pires (PRT) 14.64 def. Matt Wilkinson (AUS) 14.40

QF 3: Taj Burrow (AUS) 17.30 def. Brett Simpson (USA) 11.60

QF 4: Jordy Smith (ZAF) 13.03 def. Alejo Muniz (BRA) 9.95

ASP WORLD TITLE TOP 5 (After Quiksilver Pro Gold Coast):

1. Kelly Slater (USA) 10,000 points

2. Taj Burrow (AUS) 8,000 points

3. Jordy Smith (ZAF) 6,500 points

3. Tiago Pires (PRT) 6,500 points

5. Matt Wilkinson (AUS) 5,200 points

5. Brett Simpson (USA) 5,200 points

5. Dusty Payne (HAW) 5,200 points

5. Alejo Muniz (BRA) 5,200 points

Highlights último dia – Quiksilver Pro Gold Coast 2011

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias