HC Especial Bi Mundial – edição de colecionador

O desfecho ideal de uma temporada dominante. Em 2018, o fenômeno da Tempestade Brasileira se transformou em era. A Era Brasileira, cujo início não teria sido mais bem representado do que com o bicampeonato mundial de Gabriel Medina. O título do paulista é o tema central desta edição de janeiro-fevereiro, cuja foto de capa foi tirada por Corey Wilson.

A revista ainda vem acompanhada de um poster especial, com tudo sobre a trajetória de Gabriel na elite, a temporada de 2018, o rol dos campeões mundiais, e mais!

Poster especial que acompanha a edição de janeiro-fevereiro. Foto: Corey Wilson/Rip Curl

Já nas páginas da edição, analisamos como foi a temporada de novidades no Circuito Mundial, na matéria Ventos de Mudança, assim como o desfecho de alto nível que culminou no bi de Medina e na conquista inédita do Pipe Masters, intitulada de Gran Finale.

Nessa pegada retrospectiva, Os Donos do Big Surf rememora a temporada de grandes feitos por parte dos surfistas de ondas grandes brasileiros – recordes mundiais de Rodrigo Koxa e Maya Gabeira; título de melhor performance da temporada de Lucas Chumbo no Big Wave Awards e aposentadoria e fase nova do legend Carlos Burle.

Teve mais conquista! Na seção 10 Perguntas, entrevistamos o mais novo campeão mundial júnior, Mateus Herdy. Na conversa, o catarinense fala sobre sua preparação,  sua primeira temporada no QS e o desempenho impecável no Mundial disputado em Taiwan.

Em paralelo às vitoriosas competições, não podemos deixar de lado a mítica Indonésia. Alex Ribas, do Hidden Bay Resort, nas Mentawai, escreve sobre uma temporada de tubos e aéreos com Bruno Santos, Lucas Chumbo, Adriano de Souza, Peterson Thomaz, Matheus Navarro, Stanley Cieslik, Nego Noronha, Paulo Vilhena, Paulo Zulu.

E mais: a classificação de Deivid Silva Peterson Crisanto para a elite mundial de 2019; as Pranchas Mágicas de Mateus HerdyArt Room com Guilherme Kramer“A tempestade perfeita ou uma verdade inconveniente”, no Mata Barata de Igor Roichman; a temporada de conquistas e redescobertas de Chloé Calmon, no Polaroids, noseriding e outras viagens; skate no Darkroom de Heverton Ribeiro e saideira no #IPaintMyDay de Casami.

HARDCORE 344! Garanta a sua!

 

***

Ventos de Mudança
por Fernando Maluf

A primeira temporada da WSL sob a direção de Sophie Goldschmidt, uma executiva de sucesso em esportes de apelo global, como o tênis e o basquete, que nunca havia pegado uma prancha de surf na vida, foi de transformações. Ou, ao menos, de esboços. […]

***

Gran Finale
por Fernando Maluf

Gabriel Medina chegou ao Billabong Pipe Masters dependendo apenas de si para conquistar seu segundo título mundial. Assim, apesar de olhares atentos em Filipe Toledo e Julian Wilson, era ele o centro das atenções. […]

 

***

Os donos do big surf
por Kevin Damasio

O domínio brasileiro em 2018 não se limitou à pranchinha. Rodrigo Koxa, Maya Gabeira e Lucas Chumbo foram coroados por redefinir os parâmetros do surf de ondas grandes. Além disso, a lenda Carlos Burle se aposentou das competições. O pernambucano não veste mais a lycra, mas continua na ativa, como treinador de Chumbo e inspiração da nova geração. […]

***

10 Perguntas: Mateus Herdy
por Kevin Damasio

[…] HC: Esse controle mental também ajuda a melhorar sua parte técnica?
Herdy: Com certeza. […] Consegui atingir um nível em que tenho muita noção do que estou fazendo na prancha. Sei o que o meu braço está fazendo, minha perna, o que preciso fazer no momento do aéreo para poder voltar. E no ano passado peguei essa técnica, essa noção do meu corpo. Da metade de 2018 para cá, eu caí da prancha muito pouco. Completei meu primeiro backflip um dia antes da minha final no Pro Junior. E não só no aéreo como também em rasgada e batida. Estou bem feliz com isso e só quero melhorar.

***

Como em um sonho de verão
por Alex Ribas

As ilhas Mentawai são um destino dos sonhos para todos os surfistas amantes de ondas perfeitas. E com o detalhe de sempre: uma constância acima da média em relação a outros lugares. […] O Hidden Bay Resort está localizado numa baía bem no meio dessa região, com ondas locais e outras de muito fácil acesso. E em 2018 recebeu a visita de renomados surfistas e muitos amigos, que foram em busca das famosas ondas do arquipélago incrustado na Indonésia.

***

“Nos sentimos Pelé, nos sentimos Ayrton Senna, nos sentimos Gustavo Kuerten, nos sentimos… Somos Gabriel Medina

Em seu editorial, o diretor de redação Adriano Vasconcellos resgata o valor pessoal, sentimental de uma conquista do peso do bicampeonato mundial de Gabriel Medina.

Medina entrou definitivamente para o hall dos grandes campeões que o Brasil já produziu – e cravou seu nome entre os grandes vencedores do esporte de todos os tempos. Afirmo isso com muita segurança, porque acredito plenamente que ainda há muito por vir. 

A materialização do campeonato mundial de 2018 – bicampeonato de Medina e tri mundial brasileiro – mexeu com meus sentimentos em relação ao esporte. Foi de arrepiar.