Dúvida no começo do ano, o WT em Nova York rolou com boas ondas e permanece no Tour. Foto ASP.

Por Rafael Thomé

Após um ano memorável do WT, marcado pela trapalhada da ASP no desenrolar do 11o título de Kelly Slater e pela alta competitividade dos brasileiros, com destaque para Gabriel Medina, Adriano de Souza e Alejo Muniz, a entidade que organiza o circuito divulgou o calendário de 2012.

As boas ondas no Quiksilver Pro New York garantiram à Big Apple continuidade no tour e, com as etapas de Trestles e Pipeline (Hawaii), os Estados Unidos será o país com maior número de etapas no calendário. Além dos yankees, apenas os aussies sediarão mais de uma disputa, com as clássicas valas da Gold Coast e de Bells Beach.

Houve uma mudança significativa no WT: sai o Rip Curl Pro Search, que em 2011 foi em San Francisco, e entra o Volcom Pro Fiji, evento que será realizado em junho. Os tubos azulados de Cloudbreak voltam ao tour após quatro anos de ausência. O Rio de Janeiro segue como sede brasileira no campeonato mundial, etapa a ser disputada em maio, assim como Hossegor (França) e Supertubos (Portugal) continuam no circuito.

Os picos tradicionais de Jeffreys Bay (África do Sul) e Teahupoo seguem em alta, principalmente após o swell monstruoso no Tahiti – que teve seu ápice no dia 27 de agosto e amedrontou até o unodecacampeão Kelly Slater.

Confira abaixo o calendário do WT em 2012:

• Quiksilver Pro Gold Coast – Austrália (25 de fevereiro a 7 de março)
• Rip Curl Pro Bells Beach – Austrália (3 a 14 de abril)
• Billabong Rio Pro – Brasil (9 a 20 de maio)
• Volcom Pro Fiji – Fiji (3 a 16 de junho)
• Billabong Pro Jeffreys Bay – África do Sul (11 a 22 de julho)
• Billabong Pro Teahupoo – Tahiti (16 a 27 de agosto)
• Quiksilver Pro New York – EUA (2 a 14 de setembro)
• Hurley Pro Trestles – EUA (15 a 23 de setembro)
• Quiksilver Pro France – França (26 de setembro a 6 de outubro)
• Rip Curl Pro Portugal – Portugal (7 a 17 de outubro)
• Billabong Pipe Masters – Hawaii (8 a 20 de dezembro)