Publicidade:

França vence o ISA World Surfing Games e últimas vagas olímpicas são definidas

Chegou ao fim no domingo (6), nas ondas de La Bocana, em El Salvador, o último evento qualificatório para o surf nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O ISA World Surfing Games 2021 reuniu mais de 250 atletas, de 51 nações, durante nove dias de altas ondas no país da América Central. Enquanto o francês Joan Duru e a australiana Sally Fitzgibbons comemoraram os títulos individuais, a França foi a grande campeã por equipes.

Além de distribuir medalhas de ouro nas categorias masculina, feminina e por seleções, o ISA World Surfing Games teve como grande atrativo a definição dos últimos atletas classificados às Olimpíadas do Japão. O maior evento esportivo do Planeta estava marcado para 2020, mas precisou ser adiado para este ano devido à pandemia de Covid-19.

No total, foram 12 atletas que carimbaram vaga em Tóquio com a realização do Mundial da ISA em El Salvador. A lista olímpica de 40 nomes, 20 no masculino e 20 no feminino, foi fechada apenas no domingo com o japonês Hiroto Ohhara, quarto lugar no ISA Games, garantindo a última vaga ainda em aberto.

Agora, o próximo compromisso destes atletas é no “Festival Olímpico de Surfe”, que será realizado em Shidashita, a 60 quilômetros de Tóquio, a partir de 25 de julho. Serão no máximo dois representantes por país em cada gênero e o Time Brasil contará com Italo Ferreira, Gabriel Medina, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima na aguardada estreia do surfe como modalidade olímpica.

Mas outros países também terão os seus times completos no Japão e prometem chegar forte em busca da inédita medalha de ouro. Casos dos Estados Unidos, França, Austrália, Peru e o próprio país-sede dos Jogos.

Nações com menos tradição no esporte, como Israel, Marrocos, Alemanha, Equador e Argentina, também terão representantes nas ondas de Shidashita e prometem abrilhantar ainda mais a disputa.

Finais de domingo

ISA World Surfing Games França
Joan Duru (FRA) roubou a cena de backside nas direitas de La Bocana e conquistou a medalha de ouro do ISA World Surfing Games 2021. Foto: ISA

Disputado entre os dias 29 de maio e 6 de junho em El Salvador, o ISA World Surfing Games serviu como aperitivo para aqueles que aguardam a estreia do esporte em um palco olímpico. Realizada nos palanques de El Sunzal e La Bocana, a disputa reuniu a nata da modalidade e distribuiu medalhas de ouro nas categorias masculina, feminina e por equipes.

No feminino, a australiana Sally Fitzgibbons – que já havia garantido o seu lugar em Tóquio através do ranking do Championship Tour da WSL de 2019 – levou a melhor na grande final deste domingo sobre as portuguesas Yolanda Hopkins (2ª) e Teresa Bonvalot (3ª), além da peruana Daniella Rosas (4ª).

Em ondas de 1 metro, Sally sobrou na finalíssima ao arrancar 7.60 e 6.50 dos juízes logo em suas duas primeiras ondas. Também garantida nos Jogos, Yolanda Hopkins terminou com a prata e precisando de nota 9.23 para virar o placar. Bronze em El Salvador, Teresa Bonvalot também carimbou o seu passaporte para o Japão, assim como a atual campeã Pan-Americana, Daniella Rosas.

No masculino, a final foi uma disputa particular entre França e Japão. Joan Duru e Jeremy Flores defenderam a bandeira do país europeu na bateria decisiva do evento, enquanto Kanoa Igarashi e Hiroto Ohhara provaram mais uma vez que o Japão é uma nova potência do esporte e poderá muito bem deixar as medalhas em casa durante os Jogos Olímpicos.

ISA World Surfing Games França
A australiana Sally Fitzgibbons – que já havia garantido o seu lugar em Tóquio através do ranking do Championship Tour da WSL de 2019 – foi a grande vencedora entre as mulheres. Foto: ISA

Mesmo de fora das Jogos, já que as vagas da França ficaram com Michel Bourez e Jeremy Flores (também pelo ranking do Championship Tour de 2019), Joan Duru roubou a cena de backside nas direitas de La Bocana e conquistou o cobiçado título de campeão mundial do ISA Games, ajudando também o seu país a faturar a medalha de ouro por equipes.

O atleta somou 7.67 e 7.27 nas suas melhores ondas, descartando ainda uma nota 7.13. Com 7.07 e 6.67 no somatório, Kanoa ficou com a medalha de prata. Jeremy Flores saiu com notas 7.27, 5.67 e a medalha de bronze. Hiroto Ohhara terminou em quarto, mas teve motivos de sobra para comemorar, já que ficou com a última vaga ainda em aberto para os Jogos Olímpicos.

Cronograma olímpico

ISA World Surfing Games França
ISA World Surfing Games 2021. Foto: ISA

O dia 25 de julho de 2021 será uma data histórica para o surfe. O cronograma para a estreia da modalidade nos Jogos Olímpicos já está definido e o evento terá como sede as ondas de Shidashita, em Chiba, a cerca de 60 quilômetros de Tóquio.

O surfe terá quatro dias seguidos de disputas. Em caso de falta de ondas nesse período, a programação prevê mais quatro dias de backup, de 29 a 1º de agosto.

Leia também: 
+ Guia das Olimpíadas: tudo sobre o surf
+ Pipeline e Sunset Beach confirmadas no CT de 2022
O “Festival Olímpico de Surfe”, como o Comitê Organizador denomina a modalidade, terá 40 atletas, sendo 20 no masculino e 20 no feminino, com no máximo dois representantes por país em cada gênero.

Confira a lista completa de todos os atletas que competirão nos Jogos e um guia completo do surf nas olimpíadas AQUI.

Resultados | El Salvador ISA World Surfing Games 2021

Resultados

Masculino

1 Joan Duru (FRA)

2 Kanoa Igarashi (JAP)

3 Jeremy Flores (FRA)

4 Hiroto Ohhara (JAP)

Feminino

1 Sally Fitzgibbons (AUS)

2 Yolanda Sequeira (POR)

3 Teresa Bonvalot (POR)

4 Daniella Rosas (PER)

Equipes

1 França
2 Japão
3 Portugal
4 Peru

Receba nossas Notícias no seu Email

+Notícias

Tubarões surfam correntes oceânicas para...

Uma equipe de pesquisadores Florida International University (FIU) chegou à conclusão de que tubarões...

Surf olímpico de 2032 poderá...

Qual se o surf olímpico de 2032 fosse disputado nas ondas da Gold Coast? Bem,...

Guia das Olimpíadas: tudo sobre...

O skate estreia nas Olimpíadas de Tóquio em julho de 2021. Essa introdução é...

Skate downhill: velocidade máxima na...

Poucas coisas são mais intensas do que descer uma estrada de serra de skate...