26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024
26 C
Papeete
segunda-feira, 15 julho, 2024

Rickson Falcão e Larissa dos Santos vencem o Pena Pro Baía Formosa 2024

Rickson Falcão (RJ) e Larissa dos Santos (CE) foram os campeões do Pena Pro Baía Formosa 2024, etapa do circuito CBSurf Taça Brasil 10000 encerrada no domingo (07), com show de surf. Recordes foram batidos nas ondas da laje do Pontal, com direito a um tubo nota dez do campeão da etapa.

As disputas de quartas de final abriram o último dia do evento com baterias Surfista x Surfista. O potiguar Adauto Sena ratificando seu lugar na lista dos favoritos ao pódio, na sua quarta onda fez um nove, somando 15.70, carimbando sua passagem para a semifinal com a melhor nota das quartas, já anunciando o que iria acontecer daí pra frente na competição.

+ Ian Gouveia vence o Ballito Pro e está mais perto do CT

As mulheres abriram as disputas para as duas vagas da grande do Pena Pro. Num duelo cearense estavam a maior referência do surfe feminino brasileiro, a múlti campeã Silvana Lima com suas manobras modernas e radicais levando para água seu favoritismo lógico. Contra Larissa dos Santos.

Pena Pro Baía Formosa 2024
Larissa dos Santos. Foto: Alexandre Gondim / CBSurf

Já no começo da bateria era visível duas estratégias distintas, enquanto Silvana se colocava mais no inside procurando as ondas que quebravam mais próxima das pedras Larissa escolheu ficar no outside e muito e, aparentemente tranquila, esperar a série, que se apresentavam com mais frequência do que nos outros dias da competição. Silvana não foi feliz nas escolhas das ondas, caiu em algumas delas e nos cinco minutos finais escolhas erradas das duas competidoras fez a prioridade passar de uma para outra sem que nenhuma troca de notas fosse pontuadas até que Larissa faltando menos de dois minutos para acabar a bateria faz uma onda boa, 5.33, colocando Silvana precisando de 5.33 para reverter o resultado. Não conseguiu e Larissa venceu o duelo entre Titanzinho de Larissa X Paracuru de Silvana. As duas praias das cearenses.

Na segunda semifinal feminina, Kemily Sampaio (SP) enfrentando Natalie Martins (PR), um confronto entre uma representante da nova geração brasileira contra a mais experiente do circuito. Levou a melhor a atleta que conseguiu dialogar melhor com a maré seca muito rasa e a proximidade das pedras vulcânicas da praia do Pontal. Natali com uma base muito sólida manobrando no crítico, despencando na volta das batidas e se mantendo sobre sua prancha enquanto Kemily não acostumada com o point break do Pontal não conseguiu finalizar suas ondas. A paranaense venceu deixando a paulista com um ótimo resultado na terceira colocação, levando junto com Silvana Lima a premiação de 7.500 reais e 6500 pontos.

Entre os homens o cearense Rafael Venuto contra o potiguar Adauto Sena foi ao mar no auge da maré seca. Nesse horário do mar é quando as séries começam a demorar e obriga os surfistas a terem calma para escolherem as melhores ondas que apareceram durante os 25 minutos da disputa. Como profundo conhecedor das ondas do seu local de treinos, Adauto fez uma nota 6,0 e obriga seu oponente a remar atrás do resultado, Rafael responde com um 5.0, fica precisando de 6.67 para vencer, não consegue e coloca o Potiguar com a primeira vaga da grande Final.

Nesse momento com a maré enchendo voltam as boas ondas para Rickson Falcão (RJ) enfrentar Caio Costa (SP) em uma disputa que os dois atletas se revezaram na liderança até Rickson pegar uma boa onda que o levou a percorrer uma grande extensão, manobrando forte, passando por cima da Rosa, nome dado a uma pedra que é marco do lugar, fazendo 7.77 para logo em seguida Caio responder com um 7.0, e ficar precisando de 6.78. Não conseguiu. A final foi definida com Rickson Falcão enfrentando Adauto Sena.

Foi quando a organização fez uma breve parada de 40 minutos para aguardar o melhor momento do dia, decisão muito acertada que colocou as finais em seu melhor momento. A praia começou a encher de pessoas, a notícia de que um representante local, Adauto, estava na grande final se espalhou rapidamente como um viral nos grupos de WhatsApp deixando a praia lotada. Pedras usadas de arquibancada, fogos de artifícios, rojões na torcida, familiares na praia. A festa estava pronta para comemorar uma possível vitória do melhor surfista de Baía Formosa na competição.

Enquanto a torcida esperava a final masculina, entrou no mar a decisão feminina. Foi quando começou o show de Larissa dos Santos. Ela optou por esperar uma boa onda atrás da linha de arrebentação das ondas, esperou, esperou, até que ela apareceu faltando menos de dez minutos para o fim, precisava de uma nota 7.30. Não desperdiçou e com muita radicalidade, variando entre batidas e rasgadas, fez a melhor nota da competição, entre homens e mulheres, 9.5, desbancando o 9.07 do pernambucano Júnior Lagosta.  Logo depois fez outra onda excelente, 8.0. para definir de vez quem seria a grande campeã do Pena Pro Baía Formosa 2024. Levando 20 mil reais e 10.000 pontos no ranking da Taça Brasil a vice-campeã pontuou 8 mil e levou 10 mil reais em premiação.

Pena Pro Baía Formosa 2024
Rickson Falcão. Foto: Alexandre Gondim / CBSurf

O palco estava pronto, plateia em seus lugares para o espetáculo que seguiria a partir daquele momento na final masculina. Todos queriam ver a festa que seria feita com a vitória de Adauto Sena, mas quem sequestrou as palmas e admiração de todos que presenciaram a melhor final dos últimos tempos em um evento brasileiro foi Rickson Falcão. Logo na sua primeira onda com um combo impressionante de manobras colocou uma nota excelente 9.0, em sua conta. Adauto tentava reagir, caiu em algumas ondas, e ficou precisando de 8.28 para tomar a liderança. Foi quando veio a onda perfeita. Rickson não hesitou depois do drop no local certo imprimiu muita velocidade com manobras sem perder o link foi projetado para um excelente tubo, três placas de lip caíram, desapareceu por completo para logo em seguida aparecer e completar a onda com mais um combo de manobras.

Suspense na praia, a torcida de Adauto não acreditava no que já era esperado: A nota 10 unânime dada pelos cinco juízes. Premiando o impressionante surfe que o local de Saquarema imprimiu na final. Falcão chegou a esta decisão passando sem alarde pelas baterias iniciais, sem está na lista dos favoritos ao título, discretamente cresceu no momento certo e foi reverenciado por todos. Adauto ainda reagiu dentro de um tubo que não completou e depois com uma nota 9.83 que lhe deixou precisando de outra nota alta, 9.18.

O CBSurf Taça Brasil vai agora para Matinhos (PR) onde acontecerá a quinta etapa válida pelo circuito de acesso ao Dream Tour, a primeira divisão do surfe nacional de 05 a 08 de agosto.

Highlighs das finais Pena Pro Baía Formosa 2024

Receba nossas Notícias no seu Email

Últimas Notícias