A World Surf League anunciou nesta quarta (5) uma decisão absolutamente inovadora no cenário esportivo. A partir de 2019, homens e mulheres receberão premiação igual, em todas as competições da WSL, em qualquer etapa do mesmo nível.

O anúncio foi feito em primeira mão pela CEO Sophie Goldschmidt, em uma conferência que contou com a presença de alguns dos principais nomes do circuito, como Filipe Toledo, Steph Gilmore, Lakey Peterson, Julian Wilson e o onze vezes campeão mundial e dono do Surf Ranch, Kelly Slater.

Veja também: WSL anuncia calendário de 2019 com Pipe Masters

“É um enorme passo na direção de uma estratégia há muito planejada de elevar o surf das mulheres, e nós estamos empolgados em nos comprometer com isso ao mesmo tempo em que revelamos o calendário de 2019”, disse Goldschmidt. “Esta é a última de uma série de ações que a Liga tem tomado para expor nossas atletas mulheres, de competir em ondas com a mesma qualidade que os homens, em melhor ondas, a melhorar o apoio e investimento”, continua.

 

View this post on Instagram

 

Like every female athlete, when you are out there competing, your only focus is on winning. The difference in prize money between men and women never crosses your mind in the heat of competition – you are too busy going all out. Today is a very proud day for me. I’m proud to be a surfer. Proud to be a female surfer. I feel like the momentum in our society to have this conversation is incredible — because it’s not just in surfing, or in sport, that women are fighting for equality. It’s everywhere. And for this announcement to come now, and for it to happen during my career. Thank you @wsl Nelson Mandela once said, “Sport has the power to change the world.” #CatchThisWave #EqualByNature #makewavesmovemountains

A post shared by Stephanie Gilmore (@stephaniegilmore) on

“As mulheres do circuito merecem essa mudança”, disse Kelly Slater. “Estou muito orgulho pela escolha do surf em liderar os esportes em termos de igualdade e justiça. As atletas mulheres da WSL são tão comprometidas com suas tarefas quanto os homens, e merecem o mesmo pagamento. O surf sempre foi um esporte pioneiro, e isto é mais um exemplo”, disse.

A partir de 2019, quando as premiações iguais começarão a valer, o surf será o único esporte dentro dos Estados Unidos e um dos únicos no mundo a adotar tal prática.

“A premiação em dinheiro é fantástica, mas a mensagem que isso passa é ainda mais importante”, disse Stephanie Gilmore.

“Espero que isso sirva como um modelo para outros esportes, organizações globais e para a sociedade como um todo”, disse a atual líder do Circuito Mundial.