Após quebrar o pé e perder 8 das 11 etapas, Caio Ibelli protesta contra decisão da WSL: “Kelly usou e abusou”

Por Redação HC

A WSL informou nesta quarta (18) os dois surfistas que receberam aos convites para atletas lesionados na elite mundial em 2019: Kelly Slater e John John Florence. O brasileiro Caio Ibelli, que quebrou o pé depois da terceira etapa de 2018, em Margaret River, esperava ficar com um dos convites, e protestou contra a decisão da entidade.

“Kelly usou e abusou. Foi pra Fiji 20 pés durante o evento de Keramas, ficou em 3° na piscina e não foi para França na próxima semana. Fora que esse é o 2° ano consecutivo que ele usa essa mesma vaga. Será justo?”, questionou Ibelli.

Segundo fontes próximas à HARDCORE, a informação foi mal recebida pela maioria dos atletas do circuito. Jordy Smith e Jessé Mendes teriam sido os mais vocais em expressar a insatisfação com a decisão do convite para Slater e não para Ibelli.

Slater quebrou o pé em julho de 2017, durante a etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul. Ele continuou competindo naquele ano, mas em 2018 ausentou-se da maioria dos eventos. Em sua primeira aparição no ano, em Jeffreys Bay, perdeu suas duas baterias e ficou na 25ª posição.

Ele havia confirmado a participação na etapa seguinte, no Taiti. Entretanto, ele desistiu da etapa apenas um dia antes do início. Curiosamente, tinham acabado de confirmar a previsão de ondas ruins durante todo o período do evento em Teahupoo.

Sua segunda participação no ano foi no Surf Ranch Pro, etapa realizada em sua própria piscina de ondas. Com ótimo desempenho, terminou o campeonato na terceira posição. Apesar de estar surfando bem, alegou problemas com a lesão para ausentar-se das etapas da perna europeia.

Resultados medianos nas duas etapas, somados ao eventual 3º lugar em Pipe, teriam colocado Slater na lista de classificação do CT, acabando com a disputa pelos convites para atletas lesionados.

Mais informações em breve.

Veja também: “Obrigado, monstro”: os parabéns de Filipe Toledo a Gabriel Medina