Uma sequência de ótimas ondulações vindas do Atlântico Norte nos últimos dias bombardeou o Nordeste do Brasil e fez diversos picos quebrarem de gala em toda a extensão litorânea que vai do Rio Grande do Norte até o Piauí, incluindo o arquipélago de Fernando de Noronha.

Entre direitas à la Jeffreys Bay no Ceará e as maiores bombas dos últimos dez anos na Cacimba do Padre, a Urca do Minhoto, bancada em alto mar a 29km da costa potiguar, fez a cabeça de um grupo de big riders em duas ocasiões.

Rodrigo Resende, Danilo Costa, Fábio Gouveia e Pedro Calado estavam entre os integrantes da barca que desfrutou de condições épicas na laje. Com ondas de até cinco metros de face, a Urca do Minhoto trouxe à tona a difícil questão: foram as maiores ondas já surfadas no Brasil?

Veja também: Depoimentos de um dia gigante na Cacimba do Padre

A briga pelo título de maior, em tamanho, pode ser dura, com alguns concorrentes de respeito em picos como Farol de Santa Marta, Laje do Jaguaruna e a própria Cacimba do Padre. Entretanto, o que diferencia essas duas sessões na Urca do Minhoto da maioria das outras ondulações gigantes e históricas já surfadas na costa brasileira é a qualidade das ondas.

Direitas lisas e tubulares abriam com perfeição na bancada em alto mar, proporcionando um visual raríssimo nas águas daqui. Em algumas imagens, lembra praticamente um Jaws menor e, talvez, um pouco mais perfeito.

Nós mesmos não sabemos a resposta sobre a maior onda – e, na verdade, essa questão pouco importa. A Urca do Minhoto já tem um lugar único na história do surf brasileiro.

Imagem de capa: Pedro Calado. Créditos: Alexandre Alessy / Diego Noronha / reprodução-Instagram

 

 

 

Urca do Minhoto,RN. Que dia! @hangloose_brasil @mormaii_wetsuits @surfteccel @agenciaquiz @pousadaurcadominhoto

Uma publicação compartilhada por Fabio Gouveia (@fabiogouveia_fia) em