“Quando sentei em cima da prancha, senti algo me puxando, foi tudo muito rápido”, contou a vítima após ser atacado por tubarão

Por Redação HC

O surfista Chris Bryan, 42, surfava na praia de Hobe Sound, Jupiter Island, Flórida, quando foi atacado por um tubarão no último sábado (23). Ele foi mordido no pé quando voltava para o fundo do mar para pegar outra onda.

Chris Bryan (42), rompeu ligamento do pé após mordida (Foto: Cortesia p/imprensa/Sheri Bryan)

“Foi tudo muito rápido”, disse após o susto. “Estava remando e quando parei, senti algo me puxando, não tive nem tempo de reagir, apenas gritei por socorro”.

Chris sofreu uma ruptura de tendão no pé esquerdo e foi encaminhado para um hospital local  onde recebeu alguns pontos. “Saí da água e fui atendido por um salva-vidas local que cobriu meu ferimento com algumas toalhas. No mar, não tinha noção do estrago que o bicho fez”, disse ao jornal americano TCPALM.

Após o incidente, o surfista contou que a experiência não foi das piores e que pretende retornar assim que possível para surfar no mesmo local.

Nos períodos entre Janeiro e Março, a concentração de tubarões na costa da Flórida aumenta muito em relação aos outros meses do ano.

Em 2019, de acordo com a Florida Atlantic University, a presença de tubarões galha preta praticamente triplicou em comparação aos outros anos.  Stephen Kajiura, pesquisador da instituição, disse que essa espécie de tubarão é a que mais ataca seres humanos.

Devido ao movimento migratório dos tubarões para a região, a Flórida passou a ser conhecida como a “capital mundial das mordidas de tubarão, de acordo com o International Shark Attack File.

Em Fevereiro deste ano, diversas praias foram fechadas devido a uma série de ataques de tubarão. O último caso registrado antes de Chris foi de um garoto de onze anos que surfava na praia de Stuart Beach e foi mordido também no pé.

Veja também:
. Tubarão morde surfista no rosto em Fernando de Noronha