Grupo canadense Brookfield compra 62% das ações da Oaktree Capital, dono de Quiksilver e Billabong

Por Fernando Guimarães

Na última década, a crise que atingiu a indústria das roupas de surfe chegou a um ponto a extremo quando, em um breve período, duas de suas maiores empresas, Quiksilver e Billabong, ambas em séria dificuldade financeira, foram adquiridas por um mesmo grupo bilionário de investimentos que até então nada tinha relacionado com o surfe, a Oaktree Capital.

O grupo criou uma empresa dentro de seu guarda-chuva para gerir as marcas de surfe, batizado Boardriders Co. Havia receios de que as marcas poderiam acabar, ou, mais provável, perder suas identidades, fundir-se em uma só… Foram muitas e preocupadas especulações, que, até agora, não se confirmaram em fatos: apesar de pertencerem ao mesmo dono, as empresas mantiveram seus nomes separados, suas distintas roupas, lojas, equipes etc.

Veja também: Italo Ferreira é campeão do Quiksilver Pro Gold Coast

As mesmas preocupações voltam à tona neste início de ano com a notícia da aquisição de 62% da Oaktree Capital — e, consequentemente, da Boardriders Co, com Quiksilver e Billabong — por um outro grupo de investimentos, o canadense Brookfield.

A Oaktree Capital originalmente é um grupo especializado em lidar com dívidas insolventes; a Brookfield, por sua vez, lida sobretudo com mercado imobiliário, o que, segundo o jornal LA Times, pode oferecer algum dinamismo aos negócios da empresa recém adquirida. Segundo o jornal, os termos do acordo assinado pelas empresas preveem a aquisição total da Oaktree pela Brookfield até 2029.

Se a compra das empresas recheadas de dívidas por um primeiro grupo de investimentos não significou a perda de sua identidade, parece provável que as coisas continuem como estão: as duas marcas, separadas, cada uma com sua identidade, ambas participando e construindo, de seu jeito, um pouco da cultura do surfe. Mas não podemos realmente saber. As decisões estão com os engravatados.