Previsão aponta para um swell mediano sem total intensidade nos primeiros dias de competições em Bells Beach; quinta-feira deve ter as melhores condições

Por Redação HC; previsão por Caio Stringari, via broou

A previsão indica ondas medianas para abertura da janela do Rip Curl Pro Bells Beach, o mais antigo e tradicional campeonato de surf profissional do mundo, que este ano alcança a 58ª edição. A etapa tem início previsto para acontecer nesta próxima quarta-feira dia 17 de abril, e vai até o dia 27/4 na Austrália.

Segundo a análise produzida pelo oceanógrafo Caio Stringari, do aplicativo broou, a direção da ondulação predominante (SW) não ajuda muito a formação das ondas no pico, e Bells deve receber somente uma parcela da energia total do swell que avançará sobre a costa da tradicional praia do surf australiano na noite terça, manhã de quarta (17) no sudeste australiano.

Veja também: Vendedor de loja local vai enfrentar Gabriel Medina no Rip Curl Pro Bells Beach

De modo geral, as ondas ficam entre 0.9 e 1.2m com períodos na casa dos 10 segundos. As melhores condições devem rolar na quinta-feira com ondas de sudoeste acima dos 1.5m e períodos de 10 segundos. Os ventos sopram praticamente de todas as direções possíveis, com intensidade no máximo moderada. No sábado e domingo, o mar deve perder um pouco de força e as ondas perdem tamanho. Isso pode fazer com que a direção de prova espere as melhores condições possíveis para as baterias ou opte pelo dual heat, com duas baterias dentro d’água.

Passada essa primeira semana da janela em Bells, um novo swell deve chegar entre terça e quarta da semana que vem.

A TRADIÇÃO DE BELLS BEACH

A onda de Bells é uma direita de alta performance que se forma sobre fundo de pedra, que oferece duas secções distintas: Rincon e The Bowl.

E quando o diretor de prova tocar a buzina da WSL, será a 58ª vez que a prova será realizada nas águas de Bells, uma conhecida praia australiana situada a cerca de 100 km do sudoeste de Melbourne, uma zona costeira de Victoria, perto de Tourquay.

Realizada desde 1962, em 1973 a Rip Curl entrou com premiação em dinheiro e transformou o evento no primeiro campeonato profissional da história do surf na Austrália.

O sino (The Bell) é um dos mais cobiçados troféus do surf profissional, que consagrou nomes como Michael Peterson, Simon Anderson, Mark Richards, Damien Hardman, Mark Occhilupo, Kelly Slater, Andy Irons, Joel Parkinson e Mick Fanning, que fizeram história no evento. Entre as mulheres, campeãs renomadas badalaram o sino: Gail Cooper (com dez títulos), Lisa Andersen, Layne Beachley e Stephanie Gilmore foram algumas das vencedoras.

Entre os brasileiros, Silvana Lima conquistou a primeira vitória verde-amarela no pico em 2009. Representando a categoria masculina, Adriano de Souza literalmente quebrou o sino em 2013 ao comemorar seu título.

E no ano passado, 2018, Ítalo Ferreira apresentou uma performance avassaladora para aposentar o aussie tricampeão mundial Mick Fanning. Quem será que badala o sino de Bells Beach em 2019?!