Imagine a seguinte cena: Kelly Slater passa toda a metade do ano fazendo cena para aparecer nos campeonatos da WSL, afirmando que se recupera de uma lesão enquanto surfa uma das maiores, mais pesadas e mais perfeitas ondulações da história em Fiji; no meio dos campeonatos em que fica ausente, consegue (apesar da lesão) participar da Founder’s Cup, um campeonato especial entre nações em cujo final épico, coincidentemente, todos os holofotes se dirigem a ele, que, por acaso, também é o dono do pico (literalmente). Depois desse primeiro semestre bizarro, Slater programa uma grande volta ao circuito, em Jeffreys Bay, onda em que se machucou. Então, no dia de sua volta triunfal ao circuito, Joel Parkinson, um consagrado veterano do circuito, rouba a cena ao anunciar sua aposentadoria. De repente, Kelly Slater não é a notícia. E grandes egos não levam isso na boa.

“Eu amei [o anúncio da aposentadoria de Parko]. Foi demais!”, diz Slater, ao vivo, em conversa com o locutor Joe Turpel na cabine de transmissão. A conversa continua:

— Ele meio que ganhou de mim nessa [risos]… Bem, eu quero fazer um anúncio!
— Pode fazer! O que você tem pra gente, Kelly?
— Bem, o meu plano basicamente é ficar saudável de verdade, fazer do ano que vem o meu último no circuito… E então parar com tudo.

Kelly Slater anunciou sua aposentadoria, ao vivo, em rede mundial*, de improviso, no mesmo dia em que Parko tinha acabado de fazer o mesmo anúncio!

Com um ano e meio de surf competitivo pela frente, ainda dá tempo de fazer muitas despedidas. Por hoje, inclusive, esta será a única grande chamada sobre Kelly, já que ele já foi eliminado, hoje mesmo (terça, 3), da competição em Jeffreys Bay. Fique ligado para mais novidades – do campeonato em J-Bay.

VEJA TAMBÉM

Kelly Slater está construindo uma piscina em Tóquio para as Olimpíadas?

Peterson Crisanto vence em Ballito, vira líder do QS e se aproxima da elite