Jessé Mendes faz final em um mar bizarro em Sunset, termina na segunda posição e se garante na elite mundial em 2019; Ezekiel Lau fica com seu segundo título da Vans World Cup

Por Fernando Maluf

Jessé Mendes é mais um brasileiro confirmado no CT em 2019. A notícia veio com a sua classificação para a grande final da Vans World Cup, etapa de 10 mil pontos e última do ano no QS, encerrada em ondas que ultrapassavam os 20 pés de face nesta quinta (6) em Sunset. Na final, disputada entre quatro atletas, Jessé ainda ficou com a segunda colocação, à frente de Griffin Colapinto e Joan Duru e superado apenas pelo campeão, o havaiano Ezekiel Lau.

Com a confirmação de Jessé, já são ao menos nove os brasileiros na elite mundial em 2019: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Willian Cardoso e Michael Rodrigues já estão garantidos pelo próprio CT, enquanto Peterson Crisanto, Deivid Silva e Jadson André se garantiram pelo QS. O campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, está praticamente garantido com a 17ª posição, mas ainda pode ficar abaixo do 22º lugar com uma combinação improvável de resultados. Yago Dora é o último da atual lista de classificados, e precisa de um resultado bom em Pipe. Ainda mais que eles, precisam desse resultado Tomas Hermes (25º) e Ian Gouveia (29º).

Veja também: Jadson André vai à semi em Sunset e se garante no CT em 2019

O ubatubense Weslley Dantas tornou-se um forte candidato a entrar o grupo ao longo desta quinta, com algumas das melhores atuações do dia em Sunset. Após vencer bateria atrás de bateria, Weslley sofreu uma lesão no tornozelo na última onda das quartas de final.

Mesmo após sair da água mancando e precisando de atendimento médico, Weslley resolveu voltar para o mar e disputar sua bateria de semifinal em algumas das condições mais selvagens vistas durante o ano todo, tanto no QS quanto no CT.

A bravura não foi o bastante e, visivelmente afetado pela lesão, Weslley ainda terminou a bateria na terceira posição, à frente do bicampeão de Sunset Jordy Smith. Restou ao caçula da família Dantas o prestigioso prêmio de Rookie do Ano na Tríplice Coroa Havaiana.

Weslley Dantas recebe o prêmio de Rookie of the Year da Tríplice Coroa Havaiana após atuação espetacular em Sunset

Além dos brasileiros, outros nomes foram confirmados na elite mundial na próxima temporada: o neozelandês Ricardo Christie e o italiano Leo Fioravanti, ambos ex-membros dos top 34, e o australiano Soli Bailey, que engrossa o time de estreantes ao lado de Deivid, Peterson e do havaiano Seth Moniz.

Como sempre acontece em seus dias grandes, Sunset destacou nos surfistas um tipo de habilidade que raramente é testada no circuito. Uma combinação de coragem e atitude com extrema perícia para manobrar em uma pista ao mesmo tempo larga, vertical e muito volumosa e com a intimidade com um equipamento mais robusto que esse surf pede.

Talvez nenhuma condição seja tão própria para o surf de Ezekiel Lau quanto essa. Outro nome tradicionalmente forte em Sunset, Jordy Smith também foi um dos melhores do evento até sua eliminação na semi, em uma bateria em que encontrou poucas ondas.

O terceiro surfista que parece precisar de ondas de responsabilidade para mostrar seu melhor surf é Joan Duru. O francês, que penou durante a maior parte do ano com resultados ruins no CT, se destacou com uma linha muito sólida no dia mais cabuloso de competição. O terceiro lugar também não foi o bastante para se requalificar pelo QS, e ele vai para Pipe precisando de resultado para se manter na elite.

Joan conseguiu uma proeza em sua semifinal. Estava em último lugar até os cinco minutos finais. Neste período, conseguiu pegar não uma, mas duas boas ondas, e tirar duas notas na casa dos oito pontos. Ele passou para primeiro.

Na segunda semifinal, Jessé manteve seu plano, que seguiu dando certo. Surfou com inteligência, escolheu bem as ondas, posicionou muito bem as manobras e soube quando apostar em cada ataque. Passou atrás de Zeke, resultado que se repetiu na final, dominado do início ao fim pelo havaiano.

Mesmo com o ranking final já definido, ainda não é possível saber todos os surfistas que vão se classificar pelo QS. Isso porque o número de duplos-qualificantes pode variar de acordo com os resultados em Pipeline. Kanoa está garantido via CT, o que já coloca o 11º colocado pra dentro.

Griffin, Zeke, Jessé e até mesmo Ryan Callinan, caso receba um convite para Pipe, ainda podem se classificar também pelo CT, o que levaria a lista do QS até o 15º colocado – Joan Duru, que também pode se manter na elite via CT. Nesse caso, até o 16º colocado do QS, o também francês Jorgann Couzinet, se classificaria. Ou seja: nada definido

As atenções agora se concentram no Billabong Pipe Masters, que abre seu período de espera já neste sábado (8), com título mundial e as últimas vagas na elite em jogo.

A expectativa é de um começo com ondas grandes já neste final de semana. Fique ligado!

Ranking final – QS 2018

  1. Kanoa Igarashi (JAP)
  2. Griffin Colapinto (EUA)
  3. Seth Moniz (HAV)
  4. Ryan Callinan (AUS)
  5. Peterson Crisanto (BRA)
  6. Jessé Mendes (BRA)
  7. Deivid Silva (BRA)
  8. Ricardo Christie (NZL)
  9. Leo Fioravanti (ITA)
  10. Jadson André (BRA)
  11. Soli Bailey (AUS)
  12. Ezekiel Lau (HAV)
  13. Jack Freestone (AUS)
  14. Ethan Ewing (AUS)
  15. Joan Duru (FRA)
  16. Jorgann Couzinett (FRA)

Resultados completos, assim como mais imagens e vídeos da Vans World Cup, nas próximas atualizações. Em breve!