Surf de altíssimo nível e final entre tops do CT marcam o segundo maior evento internacional do ano no Brasil; prefeito e Red Nose querem QS 10 mil em 2019

Por Fernando Maluf

O último dia de competição em Maresias foi marcado por algumas apresentações brilhantes, inclusive dos atletas do CT, mas não apenas deles. Surfistas como Samuel Pupo, Mateus Herdy, Robson Santos, Deivid Silva e o francês Nomme Mignot levantaram a galera com um ataque radical às paredes e rampas do litoral norte paulista.

Assista aos highlights do último dia em Maresias:

A qualidade do surf e o astral do evento foram suficientes para Red Nose e Prefeitura de São Sebastião, responsáveis pela viabilização do campeonato, apostarem em um crescimento em 2019. 

Atualmente, o circuito do QS tem apenas cinco etapas de 10 mil pontos: Ballito (AFR), Huntington Beach (EUA), Ericeira (POR) e as duas da Tríplice Coroa Havaiana, Haleiwa e Sunset.

A chegada de um evento desse porte ao Brasil seria extremamente benéfica para o surf nacional: em estrutura, financiamento, pontuação dos atletas no ranking e pelo exemplo a outras marcas e prefeituras locais.

Em 2018, o Brasil teve apenas duas etapas do QS: de 1,5 mil pontos em Itacaré e o Red Nose Pro, de 3 mil, em Maresias. Muito pouco para o país do surf.

Imagem de capa: Daniel Smorigo/WSL