Uma onda no seu escritório

Temos certeza que mais de uma vez você terminou seu almoço, abriu o Instagram (ou uma edição da Hardcore), viu algumas imagens de puro surfporn, sonhou por alguns segundos com uma onda perfeita e sofreu muito ao acordar de seu devaneio e perceber que seu próximo destino era uma cadeira meio desconfortável virada para uma tela de computador cheia de planilhas.

Bem, no interior de um centro comercial em algum lugar do mundo (Osnabrück, na Alemanha, para ser mais preciso), resolveram pensar em gente como eu e você e instalaram, entre vitrines, escadas rolantes e mesas com computadores, como a sua e a minha, uma piscina de ondas estáticas.

Veja também: O futuro do surf pertence às ondas artificiais?

A promessa da Citywave, empresa responsável pela instalação e dona da tecnologia inspirada no Eisbach, a famosa onda de rio em Munique, é espalhar seu produto pelo mundo a preços relativamente justos, facilitando a experiência com o surf em picos tão distantes do oceano quanto a capital da Baviera.

A grande diferença da onda produzida pela CityWave para as demais ondas estáticas já conhecidas é que ela não funciona sobre uma parede vertical, e sim sobre um volume real de água, permitindo que você surfe com sua pranchinha normal de todos os dias – quilhas e tudo – e não com um skimboard.

Um dos embaixadores da tecnologia é o ex-top do WT Shane Beschen. Responsável por viabilizar uma primeira grande piscina para a companhia nos Estados Unidos, ele afirma que a versão americana da onda terá uma largura bem maior que a das versões já existentes, permitindo uma enorme evolução nas manobras.

Sabemos que a perspectiva de uma onda no escritório da maioria dos humanos é meio irreal. A instação completa, segundo Beschen, fica na casa dos 5 milhões de dólares. Mas não custa sonhar, certo? Se você tiver uma área de 14×20 metros sobrando por aí – tamanho da menor instalação oferecida – e conhecer um investidor fissurado, já é um começo…

Crédito da imagem de capa: reprodução/Citywave