Por Gustavo Migliora

E lá se foram as duas primeiras etapas do ano (Gold Coast e Bells). No próximo dia 11, noite do dia 10 no Brasil, começa a terceira, também realizada na Austrália, mas agora no lado oeste do continente, mais precisamente em Margaret River.

Se na Gold Coast tivemos disputas em duas ondas bem distintas (Snapper Rocks e Kirra) e em Bells, o campeonato rolou também em Winkipop (que não é tão diferente do pico principal, mas já muda alguma coisa), em Margaret River podemos ter a prova realizada em 3 picos completamente distintos: Main Break, The Box e North Point.

E o que isso tem a ver com meus palpites?! Tudo! Um campeonato onde cada round pode ser realizado em um tipo de onda deixa qualquer um doido! Tanto os surfistas, que ficam torcendo para que role em suas ondas favoritas, quanto nós, meros mortais, que torcemos para um ou para outro e apostamos todas as nossas fichas em Ligas do Fantasy, Surfstars e até no Bet 365!. E para mim, que sou chamado de formador de opinião, é ainda pior! Pelo menos, tenho uma desculpa, caso erre totalmente os palpites (risos).

Mimimi previamente dado, vamos ao que interessa!

FAVORITOS DE SEMPRE 

Depois de 2 etapas, esse número só cresce. Tem muita gente que ainda não despontou, mas que a qualquer momento pode vir com tudo, e outros que estão naquilo que os gringos chamam de “Building Momentum”, ou, em bom português, num crescente! De qualquer maneira, escolhi 3 caras para essa primeira lista:

John John na memorável campanha do título de 2017 em Margaret (Sloane/WSL)

JOHN JOHN FLORENCE
Embora ainda não tenha arrumado nada esse ano, João João chega como favoritíssimo! Por que? Basta ver o que ele fez nesse mesmo evento ano passado. Seu surfe se encaixa em qualquer uma das três ondas e a que ele mais gosta, que é The Box, é considerada a mais difícil.

ADRIANO DE SOUZA
Outro que ainda não se encontrou em 2018 e teve uma atuação bem apagada em Bells, pico que chegou como sendo um dos mais fortes candidatos ao título. De qualquer maneira, sua cavada e suas rasgadas são como uma luva no Main Break. Se rolar por lá, nosso Capitão Nascimento pode fazer estragos novamente!

JULIAN WILSON
O australiano já ganhou uma etapa esse ano, é o lycra amarela, ao lado do Ítalo Ferreira e gosta muito dos três picos da West Austrália. Eu não costumo apostar muito no Julian, porque não curto surfistas que parecem não querer ganhar. Dessa vez, estou abrindo uma exceção, que pode ser minha última, caso ele dê mais uma de suas demonstrações de falta de sangue nas veias.

OS GOOFIES 

Nenhuma das três ondas favorece os goofyes, mas volta e meia um desses se dá bem nessa etapa. Até o Nat Young já fez semis! Com aquele surfe que vai até a metade da onda e volta. Por isso, vou colocar três caras que podem ser boas apostas: 


OWEN WRIGHT
Se o campeonato rolar em The Box, Owen passa a ser um dos grandes favoritos. Apesar de ser da costa leste, o aussie viajava muito para o outro lado, em busca das ondas selvagens dessa região. E cojones para tubos pesados como os do slab de The Box é o que não falta pra ele

MIGUEL PUPO
Pode rir! Ri, mas não desacredita não. Miguel entra no lugar do Mick Fanning e seu surfe sólido pode se encaixar muito bem no Main Break. Mesmo que de backside. Ou quem sabe ele não acha uma esquerdinha? Acho que o susto de ter caído fora do CT pode servir como fator de motivação para Miguel, que vai querer mostrar serviço como alternate.

ITALO FERREIRA
Se você não sabe, Italok fez um terceiro lugar em Margs no ano de 2016… Ano passado ele não correu, pois estava machucado, mas acaba de ganhar Bells de maneira avassaladora. Tem como deixar de fora?

 

 

OS PEDREIROS OU OS PODEROSOS

Assim como em Bells, a turma do powersurfe, principalmente os regulares, tem vantagem nas direitas do Main Break. Ainda mais se tiver pesadão! Por isso, vamos com mais três nomes:

Seabass tem excelente histórico na etapa de West Oz (Sloane/WSL)

 MICHEL BOUREZ
Já ganhou aqui e pode ganhar de novo. É bom na grosseria necessária no Main Break e nos tubos de The Box e North Point


SEBASTIAN ZIETZ
Apesar de ser um dos caras mais instáveis do Tour, com apresentações mágicas seguidas de outras bem ruins, foi o único que tirou 10 em North Point. E que 10!


FREDERICO MORAIS

Continua surfando muito bem! Achei que talvez o Momentum de 2017 não fosse continuar, mas em Bells ele surpreendeu. E na categoria dos Pedreiros, ele é um dos melhores disparado!

 

Os rookies ficarão de fora dessa vez. Talvez o Griffin Colapinto surpreenda. O Michael Rodrigues não é muito fã de ondas pesadas. E o Yago Dora ainda tá devendo bastante. Posso estar enganado (e torço para que esteja), mas acho que essa etapa vai ser de um cara mais experiente.       

Vai ser complicado e espero ter ajudado mais do que atrapalhado! Façam suas apostas e vamos torcer! Ah, e fazer aquela fezinha, que não faz mal a ninguém!  

Para torcer, ficar informado e ainda se divertir e ganhar prêmios, os links que você deve seguir são esses:

Ah, tem também o SurfStars, jogo de apostas do WT que é parceiro da HARDCORE. Baixe o app, dê os seus palpites e concorra a prêmios irados. Convide os brothers e boa sorte!

Vem comigo e um abraçosssssss!


Assine nossa newsletter e receba toda semana os conteúdos mais incríveis da Hardcore