Por Gustavo Migliora

A PRIMEIRA ETAPA DO ANO FOI PRA CONTA e eu errei quase todos os palpites que dei aqui! Mas também, né? Quem diria que um Julian Wilson voltando de contusão ou um Adrian Buchan, que dificilmente se dá bem em pointbreaks pra direita, iriam até a final?! Ou que o dia final do campeonato seria realizado em um Kirra difícil e com a maioria das ondas fechando? Talvez fosse melhor eu ter continuado com os Dark Horses… rsrs

Pronto! Desculpas dadas. Vamos aos palpites para o Rip Curl Pro Bells, a segunda prova da temporada, que começa no próximo dia 28 (27 a noite, aqui no Brasil). Eu compartilho da opinião de muita gente de que Bells, apesar de toda a tradição e tal, talvez seja a onda mais chata do Tour. Já está fazendo hora extra. Mesmo assim, é de suma importância para qualquer um que almeje o título mundial. Então, segue o baile!

O GRANDE FAVORITO

Se eu tivesse que apostar 1 milhão de reais em algum surfista, em qualquer etapa, acho que essa seria a minha chance de ouro. Senhor apostador, por favor, coloca tudo no Mick Fanning! Além do cara já ter ganho 4 vezes em Bells (e ter feito outras duas finais), esse vai ser seu último campeonato como integrante ativo do Tour. Ou seja, estamos juntando um mestre dessas ondas, com um final de carreira que pode ser mágico, caso ele venha a levantar o sino pela 5ª vez. Tenho certeza que Mick vem com tudo para ganhar essa! 

Em sua despedida do circuito, Mick Fanning pode se tornar o maior vencedor da história de Bells (WSL/Sloane)

OS FAVORITOS DE SEMPRE

Todo ano e em todas as etapas, temos aqueles caras que são sempre favoritos. As cartas certas do baralho. Aqueles que quando caem cedo, todos ficam decepcionados. E em Bells não é diferente. Além do Mick Fanning, já citado acima, aqui vão outros 3 caras.

  1. JORDY SMITH: Atual campeão dessa prova. Um cara pesado, que sabe surfar power e na linha, mas também tem um arsenal de manobras mais modernas. Tudo bem que ele não costuma arriscar muito nos campeonatos, mas em Bells, se fizer o feijão com arroz, tem tudo para ganhar o bi.
  2. JOHN JOHN FLORENCE: Atual bicampeão mundial. Foi mal em Snapper, mas não dá para descartar o havaiano. Se ainda estiver naquele pique competidor, deve chegar em Bells puto, querendo reverter o mal resultado da Gold Coast. E com o surfe que tem, ganha fácil de quase todos os Tops do Tour.
  3. FILIPE TOLEDO: Esse não é atual campeão de nada, mas vai ser! Começou o ano com um 5º na Gold, apesar de ter sido disparado o melhor surfista do campeonato e segue para Bells a fim de mais! Alguém ainda duvida do que esse moleque é capaz de fazer em ondas para a direita? Se você duvida, dá uma olhada nos últimos campeonatos em Bells, Margaret River, J-Bay…

Filipe Toledo é favorito em qualquer direita desse planeta (Sloane/WSL)

OS PEDREIROS OU OS PODEROSOS

Quando eu chamo um surfista de “pedreiro” muita gente me entende errado. Não quer dizer que o cara surfe mal, longe disso. É mais uma definição daquele surfe power, nem sempre o mais vistoso no quesito estilo, mas que impressiona pela força e pela quantidade de água jogada pra cima. E Bells é uma onda onde os pedreiros costumam se dar muito bem! Então, aqui vão 3 nomes:

 

  1. MICHEL BOUREZ: O taitiano tem um surfe bem robusto e, apesar de já ter tido maus resultados em Bells, fez quartas nos dois últimos anos. Se a onda estiver gordinha e lenta, pode ser um destaque;
  2. WILLIAN CARDOSO: Eu poderia ter colocado o Panda na categoria dos Rookies, mas como ele já competiu em Bells, como convidado, preferi incluí-lo aqui. Quem não lembra da eliminação do Kelly Slater pelo brasileiro, num Bells clássico em 2013? Essa talvez seja a etapa que mais se encaixe ao surfe do Panda. Tomara que ele quebre tudo!
  3. FREDERICO MORAIS: Outro que tem um surfe bem forte, perfeito para Bells. Ficou em 5º no ano passado, depois de eliminar o Gabriel Medina, e pode ir ainda melhor esse ano. Resta saber se os juízes ainda vão se impressionar com suas rasgadas, que são muito fortes, mas não jogam muito a rabeta.

Se Bells quebrar clássico, o surf de linha de Kikas fará dele um dos favoritos (Sloane/WSL)

OS ROOKIES

Quando eu falei que tinha errado quase todos os meus palpites para Snapper, somente os estreantes me salvaram. Eu não tinha apontado o Tomas Hermes, mas falei do Griffin Colapinto e do Michael Rodrigues. E é com esses dois nomes que eu sigo para Bells. Ainda mais agora, depois do que eles demonstraram na etapa passada. Vou acrescentar o Tominhas, que deve estar bem motivado e querendo repetir a excelente performance da Gold Coast.

OS GOOFIES

Não é de hoje que Bells é conhecida como uma onda bem difícil para os goofies. É só olharmos os resultados dos últimos 20 anos. Apenas o Mark Occhilupo (1998) e o Matt Wilkinson (2015) balançaram o sino surfando de costas ali. Como o Occy já se aposentou há muito tempo, um raio não cai duas vezes na cabeça do Wilko, o Medina sempre vai mal ali e não vejo mais nenhum goofy capaz de aprontar nessas direitas, ouso dizer que não temos nenhum favorito nessa categoria.

Eagora, quem será que toca o tão prestigiado e cobiçado Sino de Bells?! Façam suas apostas.

Dito isso, aproveito o espaço para convidar todos a seguirem minha página no Facebook e Instagram, onde eu faço comentários diários sobre o universo do surfe competição e a participarem da Liga Comenta Cako e Cerveja Praya, no Fantasy da WSL, onde você pode ganhar prêmios irados (Cerveja Praya, Parafinas Fu WaxVitória Regia Gin e Kits da .Matter) a cada etapa e uma prancha no final do ano.

Ah, tem também o SurfStars, jogo de apostas do WT que é parceiro da HARDCORE. Baixe o app, dê os seus palpites e concorra a prêmios irados. Convide os brothers e boa sorte!

Vem comigo e um abraçosssssss!

 

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

1.a: Filipe Toledo (BRA), Griffin Colapinto (EUA), Michael February (AFR)
2.a: Owen Wright (AUS), Conner Coffin (EUA), Ezekiel Lau (HAV)
3.a: Jordy Smith (AFR), Caio Ibelli (BRA), Patrick Gudauskas (EUA)
4.a: Gabriel Medina (BRA)Italo Ferreira (BRA)Ian Gouveia (BRA)
5.a: John John Florence (HAV), Tomas Hermes (BRA), Mikey McDonagh (AUS)
6.a: Julian Wilson (AUS), Joan Duru (FRA), Carl Wright (AUS)
7.a: Adriano de Souza (BRA), Michel Bourez (TAH), Keanu Asing (HAV)
8.a: Matt Wilkinson (AUS), Jeremy Flores (FRA), Yago Dora (BRA)
9.a: Kolohe Andino (EUA), Frederico Morais (PRT), Willian Cardoso (BRA)
10: Adrian Buchan (AUS), Connor O´Leary (AUS), Michael Rodrigues (BRA)
11: Joel Parkinson (AUS), Kanoa Igarashi (EUA), Wade Carmichael (AUS)
12: Mick Fanning (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Jessé Mendes (BRA)

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL WOMEN´S PRO BELLS BEACH:

1.a: Carissa Moore (HAV), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)
2.a: Stephanie Gilmore (AUS), Keely Andrew (AUS), Coco Ho (HAV)
3.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Silvana Lima (BRA), convidada
4.a: Tyler Wright (AUS), Malia Manuel (HAV), Paige Hareb (NZL)
5.a: Lakey Peterson (EUA), Tatiana Weston-Webb (HAV), Macy Callaghan (AUS)
6.a: Nikki Van Dijk (AUS), Johanne Defay (FRA), Caroline Marks (EUA)


Assine nossa newsletter e receba toda semana os conteúdos mais incríveis da Hardcore